Acreano casamenteiro – Jornal A Gazeta

Acreano casamenteiro

Se tem uma coisa que acreano é bom é em casar. Se preciso for, separa para casar de novo. Ou, no caso dos mais românticos, casam-se várias vezes com a mesma pessoa. Seja na igreja ou no cartório.

Na arena da Expoacre ou no gramado do estádio Arena da Floresta, o importante é dizer “sim” e selar esse compromisso com um beijo na boca, chuva de arroz e brinde com champanhe.

Lindo né? Um verdadeiro conto de fadas! Mas, é no dia a dia que esses casais das mais variadas idades provam a resistência do amor.

Tem gente que, mesmo sofrendo o pão que o diabo amassou, não larga. Já tem gente que na primeira briga ameaça separar e levar embora os móveis que ainda têm cheirinho de novo.

Tem aqueles que lutam até onde dá. Mas, talvez até por amar demais, deixam a outra pessoa seguir o caminho. Para quem fica, a sensação de fracasso passa a ser uma realidade. Para quem vai, precisa ter muita coragem para desbravar um admirável mundo novo. Mas, como seguir? Depois de tanto!

Após se recuperar dessa dor funda que aperta o peito e faz os olhos chorarem até mesmo sem querer, o que o bom acreano faz? Ele casa, de novo!

É inegável que as edições do Casamento Coletivo, realizado pelo Tribunal de Justiça do Acre, têm forte responsabilidade nos números de matrimônios. A próxima cerimônia vai acontecer no Estádio Arena da Floresta, no dia 27 de outubro, com participação estimada de 2 mil casais.

É muito amor!

E talvez, só o amor para curar um coração partido, pequeno e machucado. Além de acender a esperança de dias melhores.

BRUNA LOPES é jornalista
jornalistabrunalopes@gmail.com

 

Assuntos desta notícia