Ano é novo, mas as notícias são velhas – Jornal A Gazeta

Ano é novo, mas as notícias são velhas

Não tem jeito. Desde o mais jovem até o mais experiente são escapam do sentimento de renovação trazido com a chegada do ano novo. Afinal, quem nuncaesperou esse período para começou a dieta, a economizar para aquela tão sonhada viagem ou começou a estudar?

Do dia 31 para o 1° eu confesso que agradeci. Foi um ano tão difícil que sobreviver a ele foi realmente a uma conquista. Agradeci a Deus pelos livramentos e oportunidades de aprender, mesmo que quebrando a cara. Agradeci aos poucos e bons amigos que fizeram dos últimos 300 dias e tantos dias ficarem mais leves.
A vida é uma montanha russa. E você é um passageiro dentro daquele minúsculo carrinho, impotente. O que resta é aproveitar a viagem. Mesmo que ela estrague seu penteado ou te faça passar mal após várias piruetas.

Para os próximos 353 dias eu gostaria de poder escrever boas notícias. Relatar as boas e reflexivas práticas e experiências poderia fazer meu dia terminar de forma leve e estimular quem fosse ler o conteúdo na manhã seguinte a fazer a diferença no mundo.

Na prática a coisa é muito diferente. A realidade é mais dura. Imprevistos acontecem. E coisas ruim também atingem pessoas boas. E por falar em pessoas… Elas mudam! E como mudam. Não se espante. Afinal, você também não é a mesma pessoa que era em 2007?E no cenário nacional em que estamos enfrentando nada está absolutamente descartado.

Crise econômica, mortes em presídios, execuções diárias, escândalos de corrupção desanimam e entristecem. Parecem ser notícias de 2016, mas elas que preenchem o tempo das pessoas. Seja na frente da TV ou lendo um jornal. Como começar bem 2017 diante dessas notícias?

Este ano eu assumi um compromisso. Tomei a decisão de ter controle. E que as próximas 50 semanas me deem oportunidade de experimentar inéditas e desafiantes experiências. E para você? Eu desejo que 2017 seja generoso e que pelo menos uma vez ao longo desses dias você aprenda, sinta ou experimente algo novo, algo inédito na tua existência.

Como diz Thich Nhat Hanh: “Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho”. Tá esperando o quê? Corre lá!

Bruna Lopes é jornalista
jornalistabrunalopes@gmail.com

Assuntos desta notícia