Ansiedade

Postado em 20/02/2017 23:35:13 BRENNA AMÂNCIO

Preciso falar sobre a ansiedade. Essa doença invisível é real e pode estar atingindo a vida de alguém muito amado seu. Neste momento, ela pode estar tirando o brilho do sorriso daquela pessoa que você julga tão alegre, pode estar amordaçando algum familiar, pode até mesmo estar aprisionando alguém no meio de uma multidão.

Ninguém pede para sofrer de ansiedade. Ela chega sem ser convidada e, com o tempo, acaba se tornando algo tão presente na vida da pessoa, que ela pode chegar a esquecer como é uma vida sem aquela dor.

Mas o que é ansiedade, de fato? Muita gente pode ter a sua própria definição, mas eu darei uma que vi recentemente em “Desventuras em Série”, uma série produzida pela Netflix. Em determinado episódio, o personagem disse que perder alguém amado é como acordar no meio da noite e, ao voltar para o quarto no escuro, subindo as escadas, você pisar acreditando que terá mais um degrau, porém seu pé não encontra nada e você sente como se fosse despencar. Aquela sensação estranha e agonizante, de estar caindo sem ver onde, é como perder alguém amado. E ter uma crise de ansiedade é perder alguém também. Mas se trata da própria pessoa. Sofrer de ansiedade é perder-se um pouco a cada crise.

Eu luto contra a ansiedade há três anos. Já busquei ajuda de profissionais e hoje sei como combatê-la. Mas é um passinho de cada vez. E a vida acaba se dividindo em dois períodos: os dias sem ansiedade e os dias com ansiedade.

Graças ao trabalho de profissionais sérios e à minha força de vontade, os dias com ansiedade têm sido bem menores em relação aos bons dias.

Mas passar por isso, ter essa experiência dolorosa me tornou uma pessoa melhor. Hoje, é como se uma cortina nublada tivesse se dissipado à minha frente e eu pudesse ver outras pessoas com patologias semelhantes ou iguais. Identificar e poder ajudar, mesmo que só com uma boa conversa, tem feito a diferença. Ter empatia pelos outros nos torna mais humanos.

Caso você esteja sendo vítima dessa doença ou conheça alguém com isso, a orientação é buscar ajudar profissional de um psicólogo primeiramente e de um psiquiatra. Se desprenda de preconceitos. A vida pode ser linda sem que a mente esteja adoecida.

editorial

Não há como ignorar

 

Não como ignorar ou negar – e o próprio secretário de Segurança Pública admite- que nos últimos dias houve nova investida das famigeradas facções criminosas com vários homicídios tanto na Capital como em algumas cidades do interior, onde até um aluno teria sido morto dentro da sala de aula. Porém, não ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook