Após madrugada violenta, Segurança quer fechar presídio em março – Jornal A Gazeta

Após madrugada violenta, Segurança quer fechar presídio em março

BRUNA MELLO

Rio Branco registrou uma nova onda de violência na madrugada desta sexta-feira, 2. Ao todo, quatro pessoas foram assassinadas e três carros e uma moto foram incendiados. Todas as vítimas foram mortas com uma pistola .40, que é de uso restrito, segundo a polícia.
Após os crimes, o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, anunciou o fechamento da Unidade Penitenciária UP4, conhecida como Papudinha, para março. O local abriga 390 presos do regime semiaberto. A ideia é que todos os detentos passem a utilizar tornozeleiras eletrônicas.
“A reincidência com a tornozeleria eletrônica é muito pequena por que podemos rastrear a localização deles. Queremos usar a tecnologia a serviço da Segurança porque podemos monitorar os passos deles [detentos]. É uma medida que devemos implementar nas próximas semanas”, destaca.
Farias afirma que o fechamento do presídio já está em tratativa com a Vara de Execuções Penais.

Madrugada violenta
A primeira vítima, Romário Silva dos Nascimento, 25 anos, estava dormindo quando teve a casa invadida. O crime ocorreu por volta de 2h, no bairro Defesa Civil. Nascimento foi alvejado com ao menos três tiros. Logo em seguida, mais duas mortes foram registradas, no bairro Jequitibá. As vítimas foram identificadas como José Ricardo Souza Batista Júnior, 26 anos, e Samuel Oliveira, 18 anos.
O último crime foi contra Mossiene Damasceno Lima, 34 anos, assassinado enquanto saía da Papudinha. Ele cumpria pena no regime semiaberto. Na ação, três carros e uma moto de detentos que estavam no estacionamento do presídio foram incendiados e ficaram totalmente destruídos.
Segundo o secretário de Segurança, a polícia ainda investiga se os crimes têm ligação. Vale lembrar que somente em janeiro foram registradas quase 50 mortes violentas em todo o Acre.

Assuntos desta notícia