Cláudio Porfiro – Página: 20 – Jornal A Gazeta
  • O lado trágico da distância

    São homens que vivem ao sabor das águas do grande Rio Amazonas. Cada qual carrega sobre si o peso da distância das famílias. Há mais tragédia que tango, não exatamente como no espetáculo. A viagem por esta vida é longa, se assim tu o mereces....

  • O anoitecer dos velhos ladrões

    A sua mãe um dia lhe disse que mentir para os outros é muito ruim, mas você não ouviu direito. Nem ligou. Rodopiou sobre o salto quinze. Sorriu como uma hiena. Olhou de lado feito um javali mostrando os dentes sem nenhum medo. Chutou o...

  • Médio Amazonas

    Estamos já no quarto dia de uma viagem insólita em que os personagens de importância real logo se fizeram tediosos, principalmente, porque dizem quase sempre a mesma coisa ou nada dizem, a não ser, esporadicamente, uns com os outros e quase nunca comigo. – Ô...

  • Ladrões do novo mundo

     Essa de novo mundo é invenção do Cristóvão, aquele que substituiu a avestruz, pôs o ovo em pé – ele – e saiu correndo da cena feito louco varrido ainda com as calças na mão. Pirou! O ovo era grande demais e teria exigido muito...

  • Ladrões do novo mundo

     Essa de novo mundo é invenção do Cristóvão, aquele que substituiu a avestruz, pôs o ovo em pé – ele – e saiu correndo da cena feito louco varrido ainda com as calças na mão. Pirou! O ovo era grande demais e teria exigido muito...

  • Sendas do Acre de antanho

     Brecht me diz que as margens são violentas porque oprimem o rio. Talvez. Pode até ser. Mas vejo que tal assertiva pode tornar-se verdadeira se a região for montanhosa. No caso, este é o Acre. Aqui, ao contrário, talvez pelo fato de vivermos na planície,...

  • Sendas do Acre de antanho

     Brecht me diz que as margens são violentas porque oprimem o rio. Talvez. Pode até ser. Mas vejo que tal assertiva pode tornar-se verdadeira se a região for montanhosa. No caso, este é o Acre. Aqui, ao contrário, talvez pelo fato de vivermos na planície,...

  • O desvario da minha época

    *JOSÉ CLÁUDIO MOTA PORFIROPara Estela Maciel  Estou vivo e ativo, pelo menos uma vez por minuto de cada hora de cada dia com que Deus me presenteia. Disto é sempre bom lembrar aos circundantes. Afirmo-vos, ademais, que hei de passar o resto desta vida insana...

  • O desvario da minha época

    *JOSÉ CLÁUDIO MOTA PORFIROPara Estela Maciel  Estou vivo e ativo, pelo menos uma vez por minuto de cada hora de cada dia com que Deus me presenteia. Disto é sempre bom lembrar aos circundantes. Afirmo-vos, ademais, que hei de passar o resto desta vida insana...

  • Os turcos nossos de cada dia

    O Eça de Queirós, romancista luso do final do século dezenove, escreveu que, em Portugal a emigração não é, como em toda a parte, o transbordamento de uma população que sobra, mas a fuga de uma população que sofre. Entre os sírios e libaneses ocorreu...