Cláudio Porfiro – Página: 3 – Jornal A Gazeta
  • A fênix renascida do caos mais íntimo

    Para a Geany Silva. Viera de uma terra distante. Indagara ao vento sobre que tipo de pessoas poderiam fazer parte do seu novo mundo em início de construção. Os edifícios eram tão belos e tão altos que lhe batia uma espécie de vertigem, ou sonolência,...

  • Em rota de colisão com a galáxia inteira

    Uma a uma as gotículas do frio úmido molhavam a folhagem do pequeno pomar localizado nos fundos de uma quinta em que os vinhais predominavam. Ao longe e ao largo, as montanhas tingiam-se de um verde acinzentado pelas nuvens pesadas que pairavam sobre o vale....

  • Monólogos de uma ninfa ligeiramente ruiva

    Nasci perfeita e bela nos meus cachos ruivos e olhos verdes clarinhos. Só depois é que veio a prancha e melhorou tudo ainda mais. Prefiro dizer que não tenho exatamente um nome. Melhor assim. Talvez irresoluta, um dia, e muito segura de mim, no outro,...

  • Majestoso é o templo das vaidades

    É oportuno misturar fatos quadrados a personagens redondos. Há os que gostariam de uma análise, aqui, a respeito do fenômeno que representam as academias de ginástica e as suas relações com a modernidade. Há outros que cogitam a possibilidade de um comentário acerca das complicações...

  • Majestoso é o templo das vaidades

    É oportuno misturar fatos quadrados a personagens redondos. Há os que gostariam de uma análise, aqui, a respeito do fenômeno que representam as academias de ginástica e as suas relações com a modernidade. Há outros que cogitam a possibilidade de um comentário acerca das complicações...

  • Lágrimas vadias, saudades e subterfúgios

    Em dias de solidão da alma, mórbida calma, tristeza infinda, chuva fina duradoura cai do céu sem piedade alguma, desde muitos dias. Tão bela e uma vontade louca de arrancar os próprios louros densos cabelos e enforcar-se neles, como fez a doida do hospício de...

  • O nexo entre malabaristas e viandantes

    Fizeram dele um menino tímido, como hoje ainda é, embora todos duvidem, poucos acreditem e ninguém veja. Cumpriu itinerários rocambolescos, é certo, ao redor da terra e por mares nunca d’antes navegados. Em viagem, depois dos dez dias fora de casa, sentia saudades da mãe...

  • O inquietante enigma das almas retorcidas

    Os últimos invernos haviam sido muito rigorosos. As entranhas se lhe enregelaram, em vista das temperaturas mínimas. As fendas da alma de pedra preencheram-se de gelo e, agora, de líquen. Meditativo estava desde séculos, posto que, no amor, o tempo é contado de forma inimaginável...

  • Segredos caóticos repletos de alma

    Chegara já o estágio em que o divã quase tinha o formato e as curvas dela, ou vice-versa, tanto era o tempo durante o qual as análises ocorriam. Folgadíssima, cheia de malemolência e serpenteando feito cobra na areia quente, sentia-se tão à vontade que chegava,...

  • Petrônio travou total no treino tridimensional

    Muitos chegam em carrões blindados e pagam bastante caro para conseguir, através de exercícios extenuantes, fazendo força descomunal nas traquitanas da academia, aqueles músculos e aquelas formas sublimes admiradas por quase todos. Parte considerável deles atinge o estágio sonhado e megalomaníaco em que a vontade...