Marcos Vinícius – Página: 2 – Jornal A Gazeta
  • Quinze anos

    Formalmente seu nome todo era Mauricélia Barrozo Alves de Sousa (Barrozo com z e Sousa com s, favor não se enganar). Mas ninguém a chamava assim. Nem em casa e nem na rua. Para todos ela era apenas Célia e para alguns, muitos, ainda, simplesmente...

  • O ponto de virada: 30 anos do 1º Encontro Nacional dos Seringueiros

    1985 foi, por assim dizer, o ano da  virada do movimento dos seringueiros que se encontravam em meio a uma luta acirrada contra fazendeiros, grileiros, madeireiros e, o que era mais grave, contra o próprio Estado que sempre, via de regra, estava ao lado destes...

  • O Acre em tempos de cólera

    Como diria o outro: “muita calma nessa hora”. Ou, como dizem os outros: “Keep Calm”. Penso que essa é a única coisa sensata que nós, cidadãos comuns, podemos fazer diante dos atos de violência que tomaram conta das ruas das cidades acreanas nos últimos três...

  • Quem é da floresta não se espalha

    Sábado passado tive o prazer de  ir até o Espalha, um pequeno  afluente do Riozinho do Rola, que passa nos fundos da Reserva Extrativista Chico Mendes. É lá que fica a comunidade São Mateus, antiga colocação Samaúma do Seringal Boa Vista, que há quinze anos...

  • O início dos 111 anos de Sena

    As cidades são como os homens: nascem, crescem, envelhecem  e morrem. A história da humanidade conheceu grandes metrópoles que reinaram por séculos e desapareceram no pó, consumidas por seu próprio poder e arrogância. Outras nasceram pequenas e assim, como pequenas aldeias, se mantiveram por milênios...

  • 113 anos do primeiro combate

    Puerto Alonso, a atual cidade de  Porto Acre, surgiu de forma diferente de todas as outras cidades acreanas. Enquanto Empreza e Xapuri haviam se formado espontaneamente a partir da atividade de seus povoadores, Puerto Alonso foi fundada pelos bolivianos em 1899 para servir como alfândega...

  • Ao grande construtor

    Hoje faz uma semana que o  perdemos. Como não foi  possível fazer naquele mesmo dia, 3 de setembro, o registro e o reconhecimento de parte, ao menos, da vida, obra e imensa contribuição desse homem extraordinário ao Acre, não posso deixar de fazê-lo ainda. Ele...

  • De lá pra cá, ou daqui pra lá, de avião tá de lascar

    Recentemente fiz uma viagem   com minha esposa e filha de  um aninho de idade. E, tanto na ida quanto na volta, a realidade com que nos deparamos foi a mesma: voos lotados e extremamente desconfortáveis no trecho entre o Acre e Brasília. O voo da...

  • Doces rios

    Como disse o extraordinário  poeta/músico Milton Nascimento “O grito dessas pessoas no fundo dos seringais, devia ser escutado em Beléns e Manaus. Corre nas veias remar e seguir a viagem, viver só carece coragem; esperança que a paz reine na floresta.” Foi fantástico subir aos...

  • Asas partidas (2)

    Há algum tempo publiquei aqui  na coluna um texto sobre as aventuras e desventuras do Interventor Martiniano Prado e a vinda do primeiro avião (o antológico Taquari) ao Acre. Como no próximo domingo o bairro Aeroporto Velho está em festa, por conta de seus 51...