Domingo – TIAGO MARTINELLO – Página: 4 – Jornal A Gazeta
  • Tarde demais

    Quando você tem menos de 18 anos, dirigir parece o máximo. O carro vira o objeto maior do desejo da juventude. É como um símbolo de liberdade para o ingresso na vida adulta. Ir para aonde se quer, na hora em que se quer ir....

  • Um grande Nada

    As definições são um dos maiores males da inteligência humana. Para objetos, podem até ser simplificadoras. Mas pra seres vivos, gente como eu e você, leitor, não passam de palavras limitadoras. Instrumentos de manipulação! Algumas pessoas me acusam de ser ‘isso’. Outras de ser ‘aquilo’....

  • Falo melhor por palavras escritas

    Não é tão incomum me perguntarem porque nem sempre sou tão expressivo pessoalmente quanto sou em meus textos. Acho que é uma forma indireta de me chamarem de inexpressivo ou de ‘caladão’ quando estou ao vivo e a cores diante das pessoas. Até me considero...

  • Digitando a própria morte

    A vida é uma dádiva, mas há certos obstáculos que obscurecem a cabeça de uma pessoa ao ponto de não enxergar mais por esta perspectiva. A vida moderna é sofisticada, tecnológica e exige sacrifícios de cada um. Só que ao mesmo tempo em que estamos...

  • Comportamentos individuais melhorados, idealizados no âmbito de um bem estar coletivo, poderiam mudar o mundo. Mas são cada vez mais desvalorizados. Vivemos em tempos cuja mentalidade das pessoas está se voltando para um perigoso campo de supervalorização do ‘eu’ em detrimento do ‘nós’. As pessoas...

  • Presos na terra da fantasia

    Nem tudo é o que parece ser. Mas isso não significa que este ‘tudo’ sempre é motivo de dúvidas. As vezes as coisas são o que são. Simples, claras e transparentes. Não é sempre que os fatos e acontecimentos têm causas, consequências, sequências e propósitos...

  • Ar nosso de cada dia

    Mais um ano, mais um ‘verão’ (se é que assim pode ser chamado o diacho desse tempo) e a fumaça continua castigando o Acre. A cena que vemos hoje é parecida com aqueles tempos cinzentos de nove anos atrás. O ano foi 2005 e a...

  • Mais uma vez e sempre

    Olha nós aqui de novo. Ataques incendiários, facções, revolta em presídios e muitas, muitas prisões. Não dá pra dizer que retrocedemos a outubro de 2015. A verdade é que não superamos ainda essa situação de ameaça de facções e demais organizações criminosas. Vencemos várias batalhas,...

  • Mais unidos

    Lembro de muitas coisas da minha infância. E algumas das minhas memórias mais remanescentes têm a ver com assistir as Olimpíadas, Copas do Mundo, mundiais de vôlei, etc. Aquele lampejo de esperança (até mesmo quando tudo parecia adverso) na hora de torcer pelo Brasil, pela...

  • Um fiapo de rio

    Menos de um metro e meio. Esse é o estado atual de um rio que já foi chamado por alguns em outros tempos de majestoso. Um volume de água preocupante. Grave. Porém, não é nenhuma surpresa. O movimento de cheia e de seca do Rio...