Colóquio no Jaburu – Jornal A Gazeta

Colóquio no Jaburu

Dois fatos políticos deviam ter agitado esta semana. Um, a perícia de técnicos do Senado sobre as pedaladas fiscais – mais uma prova que a presidente Dilma não cometeu crime de responsabilidade. Outro, o inusitado encontro do vice-presidente no exercício da presidência da República com o deputado afastado da Presidência da Câmara Federal e do mandato pelo STF – mais uma prova que o réu Eduardo Cunha, agora com a cumplicidade de Michel Temer, manobra para interferir nos processos em andamento na Câmara e no Supremo para sua cassação por quebra de decoro e sua prisão por corrupção.

Seriam duas notícias bombásticas, mas tiveram tímida repercussão. O tratamento dado ao colóquio Temer e Cunha, como também à perícia técnica do Senado, só confirmam a campanha da mídia grande para aprovar o impeachment de Dilma no Senado.

A mídia grande, também chamada de PIG – Partido da Imprensa Golpista –, é formada por Rede Globo, jornalões como Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo, e outras poucas mais poderosas empresas familiares de comunicação. Elas servem-se de qualquer governo, mas sempre servem ao mercado. Na prosperidade, o governo do PT não era problema para elas. Mas comas crises política e econômica elas precisaram e tomaram partido: entre o social e o econômico, ficam com o econômico; entre os trabalhadores e o mercado, vão com o mercado; entre os pobres e os ricos, mandam a conta para os pobres.

A campanha de mídia e ódio para desmoralizar o PT não tem nada a ver com moralidade. No máximo, é moralista, porque ideológica. Corruptos existem em todos os partidos, como também gente séria. A corrupção não se deferência no PMDB, PSDB, PP. É pra ser combatida independente de partidos.

Só com o presidente Lula os órgãos de investigação e controle ganharam efetiva independência de atuação, inclusive o ministério púbico e a policia federal. Portanto, nenhum outro governo nem partido contribuiu tanto para o combate à corrupção.

A presidente Dilma errou no governo, mas sempre foi honesta e sincera no combate à corrupção. A perícia técnica do Senado é mais uma prova que ela não cometeu crime de responsabilidade.

O Brasil quer justiça e não é possível que a Nação inteira dormia na noite de domingo que Michel Temer abriu o Palácio do Jaburu para Eduardo Cunha.

Assuntos desta notícia