Coluna Nacional – 05/09/2017 – Jornal A Gazeta

Coluna Nacional – 05/09/2017

Escândalo envolve milhões e tráfico de influência
O áudio obtido pela Procuradoria Geral da República incrimina o ex-procurador Marcelo Miller, que foi braço direito do procurador-geral Rodrigo Janot, em suposta “venda de influência” junto ao chefe da PGR na negociação de delação premiada. Miller teria se beneficiado, segundo a revista Veja, por um contrato de US$27 milhões (R$85 milhões) do escritório que fazia a defesa de Joesley Batista. O escritório e Miller negaramisso, após a revista citar os valores.

Transparência
Antes que vazasse o áudio de 4 horas de conversa entre delatores da JBS, Janot tomou a iniciativa de expor a denúncia publicamente.

Anulação possível
Janot diz que a denúncia contra Miller não invalida provas, nem o instituto da delação, mas advogados apostam em anular a delação.

Sem quarentena
Marcelo Miller participou de reunião na Procuradoria-Geral como advogado da JBS seis dias depois de deixar sua carreira pública.

Prazos respeitados
Marcelo Miller já se defendeu da acusação de “virar a casaca” em troca de dinheiro, afirmando haver observado os prazos constitucionais.

Brasil pode fechar embaixada
na Coreia do Norte
O governo deve chamar para consultas o encarregado de negócios do Brasil em Pyongyang (Coreia do Norte), Cleiton Schenkel, após o regime do tirano Kim Jong-Un detonar uma bomba H que em seu próprio país. O governo Michel Temer protestou fortemente contra mais esse ato de ameaça à paz mundial. A convocação do embaixador pode ser o primeiro passo para fechar a representação diplomática.

É caro e sem serventia
Só o Brasil e mais 25 países estão na Coreia do Norte. Na embaixadabrasileira construiu até abrigo subterrâneo, diante do risco de conflito.

Ideias de jerico
FHC estabeleceu relações, mas foi Lula queminstalou a embaixada na Coreia do Norte, antigo aliado da esquerda brasileira.

Ufa, escapamos
Pyongyang deu ajuda financeira e militar a grupos de guerrilha como ALN e VPR. Queriam fazer do Brasil uma enorme Coreia do Norte.

Churrasco foi boa ideia…
Após seminário de investimentos que reuniu mais de 300 empresários locais e brasileiros, em Pequim, a Apex ofereceu um autêntico churrasco brasileiro. Foi um sucesso, disputado a tapa pelos chineses.

…mas a caipirinha…
No churrasco oferecido pelo Brasil,durante avisita oficial de Michel Temer, sucesso fez a caipirinha, que os chinesesbeberam como suco. Não por acaso, boa parte deles não voltou às reuniões após o almoço.

Um parto
O presidente da OAB, Cláudio Lamachia aguarda há quase 9 meses o julgamento da ação que ingressou no Tribunal Regional Federal da 1ª Região contra a cobrança de bagagem pelas companhias aéreas.

Não é a primeira vez
A rede britânica BBC, ao contrário da mídia brasileira, reconheceu que a reação dos oportunistas de sempre à extinção da reserva mineral na Amazônia (Renca) foi “histeria”, “infantilidade” e “desinformação”.

Cassinos rentáveis
Em artigo para o site Diário do Poder, o presidente da Loterj, Sérgio de Almeida, prevê que o funcionamento de cassinos poderia gerar até R$80 bilhões ao Rio de Janeiro; 30% em impostos.

Castração química
Magistrados experientes só acreditam em castração química, para o caso do ejaculador de São Paulo. Após 17 “passagens” pela polícia, a Justiça paulista finalmente decidiu por uma “ficagem” do tarado.

Isso pega
Em Alagoas, o presidiário Medson Borges, 22, envolvido com tráfico e assassinato, foi diagnosticado com meningite bacteriana. Apesar disso, agentes e presos que tiveram contato com ele não foram examinados.

Rua na obra
Projeto do deputado Paulo Texeira (PT-SP) obriga empresas privadas, vencedoras de licitações para realizar obras públicas, a contratar “trabalhadores em situação de rua”.

Pensando bem…
…não era flecha, era bumerangue.

 

“Todo delator mente, omite, protege, atende a pressões”
Advogado Antônio Carlos de Almeida Castro,
o Kakay, sobre o escândalo na PGR

Assuntos desta notícia