Coluna Política Local – 01/12/2017 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 01/12/2017

“Os próprios usuários do transporte coletivo serão responsáveis por garantir o que está na lei, a partir da conversa e da conscientização pessoal. Não é nada punitivo ou que traga custos, porém, mexe muito com a nossa cultura”

(Vereador Rodrigo Forneck, do PT, ao comentar sobre o Projeto de lei de sua autoria que propõe tornar todos os assentos do transporte coletivo preferenciais a idosos, pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, mulheres grávidas ou com criança de colo)

Convite recusado

O presidente do DEM, Tião Bocalom, afirmou que não existe a mínima possibilidade de ser vice do pré-candidato ao governo Gladson Cameli (PP). Já empenhou seu apoio ao Coronel Ulysses e não voltará atrás.

Nada oficial

Em entrevista a um site local, o democrata pontuou que não houve nenhum convite formal por parte de Gladson Cameli, mas já se antecipou e disse que, se realmente houver, agradecerá gentilmente, mas declinará do convite.

É candidato

Quanto ao seu futuro político, Bocalom frisa que será candidato à Câmara Federal.

Adversário de peso

A presença de Bocalom na disputa a uma vaga na Câmara dificulta a reeleição do deputado Alan Rick (DEM). Se quiser realmente continuar em Brasília, ele deverá trabalhar dobrado. Bocalom tem densidade eleitoral para conquistar uma vaga.

Proativo

Interessante a iniciativa do vereador Emerson Jarude em catalogar as leis municipais no sentido de tentar revogar aquelas que já estão em desuso. O nome da ação parlamentar é “Revogaço”. A primeira fase iniciou com o fichamento das leis municipais de 1963 até 2016.

Novos desafios

O deputado Daniel Zen, ao falar sobre a chapa da Frente Popular na eleição de 2018, disse que ela vem sendo bastante competitiva e pronta para encarar os desafios para continuar consolidando as políticas de desenvolvimento econômico e social.

Audiência pública

Jorge Viana anunciou que vai solicitar uma audiência pública com a participação da Agência Nacional do Petróleo (ANP), para justificar e debater os seguidos aumentos.

Inaceitável

Ele definiu como ‘inaceitável’ o fato de a Petrobras, na hora em que o preço do barril de petróleo alcança mais de US$ 60, resolva explorar o brasileiro, aumentando injustificavelmente o preço do óleo diesel e da gasolina.

Novos permissionários

Os motofretistas realizaram uma manifestação em frente à Câmara Municipal contra a entrega das 60 novas permissões para exploração do serviço de mototáxi em Rio Branco, entregues pelo prefeito Marcus Alexandre na última quarta-feira, 29. Lamentável que firam o direito de ir e vir do cidadão, sem falar o caos que fica o trânsito naquela região.

Bem votada

A deputada Leila Galvão (PT) tem sido cotada para ser a candidata mais votada no Alto Acre devido ao bom trabalho que tem feito enquanto parlamentar naquela região. Aposto minhas fichas também no deputado Antonio Pedro (DEM).

Unidos

Os partidos PSDB-PR-PSD-PMN provavelmente formarão uma aliança na disputa à Câmara Federal. Todos fugindo da coligação com PMDB.

Bem cotada

O PMDB vem com fortes nomes na disputa à Assembleia Legislativa. A ex-deputada Antonia Sales é um deles. É uma forte liderança no Vale do Juruá e tem enormes chances de conquistar uma vaga na Aleac.

Os partidos

Dez partidos integram a chapinha da FPA. São eles: PDT, PRB, PHS, PV, PSDC, Podemos, PMB, PROS, PSOL e PRP. O detalhe é que não querem nem ouvir falar do PCdoB, PSB e PT. Esses três partidos estão “proibidos” de participar da aliança.

Juntos

O PRB, PV, PSOL E PSDC se fecharam em copas e determinaram que não aceitarão ninguém que tenha mandato. O objetivo é equilibrar a disputa entre candidatos.

No jogo

Confirmadíssima a presença do empresário Fernando Lage (DEM) na disputa ao Senado em 2018. Já se somam sete candidatos.

Juntos na disputa

O PSDB, PR, PSD e PMN caminharão juntos na disputa à Câmara Federal. A aliança já foi confirmada. Quanto à disputa ao parlamento estadual, pelo menos no que diz respeito ao PSDB, a sigla pretende caminhar sozinha.

É candidato

O ex-vereador Raimundo Vaz (PR) retorna na eleição do próximo ano como candidato a deputado estadual. Nos bastidores, comenta-se que sua candidatura está bem organizada e vem para ganhar.

Será?

Cogitou-se ainda a presença do vereador Juruna na disputa por uma vaga na Aleac. Até o momento, o parlamentar não confirmou ou negou o assunto.

 

 

 

 

Assuntos desta notícia