Coluna Política Local – 06/09/2017 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 06/09/2017

Centro do debate
A Operação Midas tem sido o centro do debate na Aleac e na Câmara de Rio Branco. Parlamentares da situação e oposição divergem acerca da inocência do ex-diretor da Emurb, Jackson Marinheiro. Alguns políticos arriscam a dizer que o prefeito Marcus Alexandre (PT) tinha conhecimento do que vinha acontecendo no órgão. Minha opinião: o momento não é propício para leviandade, portanto, nada de atribuir culpa a alguém sem ao menos ter algum tipo de prova.

Cuidado
Tem momentos que o vereador N. Lima (DEM) perde uma grande oportunidade de ficar calado. Ontem, por exemplo, foi um desses momentos. No afã de querer atribuir todos os atos de corrupção do país ao PT, o nobre vereador sugeriu que se jogasse uma bomba nos diretórios da sigla. É sempre lamentável presenciar esses discursos de ódio.

Resposta
Sabe aquela máxima que diz: quem fala o que quer, ouve o que não quer? Pois bem! Encaixa-se direitinho nessa situação. O petista Rodrigo Forneck fez o favor de avisar ao democrata que, segundo o ranking, o DEM é o partido mais corrupto do Brasil. Será que agora rola bomba no DEM também? Com a palavra, N. Lima.

Nem interessados
Até aqui não se tem nenhuma notícia do envolvimento do prefeito Marcus Alexandre, direta ou indiretamente, nesse escândalo da Emurb. A oposição está interessada nisso? Não! Tentam de todas as formas atrelar seu nome ao episódio. Faz parte do jogo, afinal de contas, ele é pré-candidato ao governo do Estado. Portanto, farão de tudo para tentar sujar sua imagem. Ainda que esta não seja a política correta e adequada que a sociedade deseja.

Está contente
O deputado Heitor Junior (PDT) está muito contente com a determinação do Ministério da Saúde de que, independente da carga viral, qualquer paciente diagnosticado com o vírus da hepatite poderá fazer uso dos novos inibidores de protease. Essa tem sido uma das principais bandeiras de luta do mandato do pedetista, portanto, muito justa a comemoração.

Vai sair
O deputado Eber Machado espera uma brecha jurídica para poder deixar o PSDC e se filiar ao PDT do ex-deputado Luiz Tchê. É por meio da nova sigla que concorrerá a uma das vagas da Câmara Federal.

Ele também
O deputado Jesus Sérgio também está na mesma situação que Eber. No momento certo, ele irá deixar o PDT para adentrar ao PP. Deixa a situação e vai para a oposição. Sua decisão tem levantado muitos questionamentos acerca de sua fidelidade. Há quem diga que ele vai para o outro bloco apenas para garantir sua reeleição.

Ainda este ano
Pelo andar da carruagem, essa história de que a oposição só escolherá o nome do vice da chapa de Gladson Cameli (PP) ao governo do Acre, no próximo ano, não rola. Embora os ânimos tenham acalmado, nos bastidores se comenta que a pressão continua e que, até o final de setembro, um nome será anunciado.

Muitos nomes
Se depender do presidente do PSDB, o nome referendado será da jornalista Mara Rocha. Por outro lado, se depender do presidente do DEM, a pessoa escolhida será Alan Rick. O PMDB aposta no vereador Roberto Duarte. Ao final, tem quem diga que nenhum deles será o escolhido. Bem provável.

Novo presidente
Surge a notícia de que o deputado Daniel Zen (PT) estuda a possibilidade de pleitear a vaga de presidente da Aleac, caso reeleito. Não sei se é verdade ou apenas boatos, mas uma coisa não se pode negar: Zen é gabaritado para assumir a vaga.

Ainda na prisão
O Gaeco, do Ministério Público do Estado do Acre, pediu ao juiz da 4ª Vara Criminal de Rio Branco, a conversão da prisão temporária em prisão preventiva para os empresários envolvidos no esquema de desvio de recursos públicos da Emurb.

Nada de apreensão
O senador Sérgio Petecão (PSD-AC) apresentou um projeto de lei que impede que carros e motos sejam apreendidos por autoridades de trânsito em razão da falta de pagamento do licenciamento anual.

Alterações
A medida pretender, alterar o Código de Transito Brasileiro (CTB), que atualmente permite a retenção e apreensão do veículo, de maneira coercitiva, como forma de obrigar o cidadão quitar seus débitos com o governo.

Acho difícil
Pouco provável que a matéria seja aprovada. Bem se sabe que o fato de ter o carro apreendido é que faz com que o cidadão efetue o pagamento. Se esta determinação cair por terra, muita gente se esquivará de pagar a documentação de seus carros. Só acho.

Assuntos desta notícia