Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 07.02.2018

Qual o problema?
Setores da oposição teceram muitas críticas à informação de que Marcus Alexandre, pré-candidato ao governo, irá passar alguns dias no Vale do Juruá após a descompatibilização do cargo. Não vejo motivo para tanto alarde.

Pode ir, sim!
Após se afastar da prefeitura, Marcus Alexandre pode se acomodar onde quiser. Não terá mais obrigação de cumprir horário. Sem falar que sua presença no interior faz parte do processo eleitoral. Não se ganha eleição pedindo voto à distância.

Fazendo o mesmo
Comenta-se nos bastidores que o senador Gladson Cameli (PP), pré-candidato ao governo pela oposição, fará o mesmo caminho que o petista, só que ao inverso. Passará mais tempo na Capital para consolidar possíveis votos.

Plano de governo
Marcus Alexandre fixará residência em Cruzeiro do Sul, mas seu foco é percorrer todo o Vale do Juruá. Para ele é primordial ouvir a população antes de colocar no papel seu plano de governo. Está certo!

Mensagem governamental
O retorno das atividades na Assembleia Legislativa foi marcado pela leitura da mensagem governamental pela chefe da Casa Civil, Márcia Regina, na qual destacou os investimentos do governo na economia, educação, saúde e infraestrutura.

Está voltando
Conversei com a ex-vereadora Arianny Cadaxo na tarde de ontem, 6, e ela me confirmou que logo após o Carnaval estará se filiando ao PSB, da vice-prefeita Socorro Neri. Quem sabe não a veremos na disputa por um cargo eletivo em 2020.

Bom trabalho
Tendo em vista o bom trabalho que desempenhou enquanto vereadora, seu retorno à política será benéfico à população. Embora retorne em um momento delicado da nossa política. Talvez ela seja a mudança que muitos desejam.

Debates acirrados
O discurso dos vereadores da oposição na sessão de ontem, 6, confirmou o que muitos já sabiam: a base do prefeito não terá moleza na Câmara de Rio Branco. Por estarmos em ano eleitoral, a tendência é que o debate fique mais acirrado. Faz parte do processo.

Diz que vai
O vereador N. Lima (DEM) ‘viajou legal’ ao defender o impeachment do governador Tião Viana (PT) por conta do aumento da violência no Estado. Discurso totalmente sem sentido e sem fundamento.

Politiqueiro
O líder do PT na Casa, vereador Rodrigo Forneck (PT), considerou o discurso do democrata muito politiqueiro.

Manifestações futuras
E por falar em retorno das atividades na Aleac, um grupo de servidores do Pró-Saúde marcou presença no parlamento estadual na sessão de ontem, 6. Foram pressionar os deputados para derrubarem o veto governamental. Por enquanto, não se fala nada sobre a data da votação.

Não tem conversa
O filho do deputado estadual Antônio Pedro, e ex-candidato a prefeito de Xapuri, Ailson Mendonça, já confirmou que seu grupo político deixará o DEM caso Tião Bocalom persista em manter a pré-candidatura de Ulysses Araújo em detrimento da indicação de Alan Rick como vice na chapa de Gladson Cameli.

Sairão também
Comenta-se nos bastidores que o grupo do deputado federal Alan Rick também deixaria o grupo, caso Bocalom insista em continuar com a candidatura alternativa.

Ele diz
Quanto à informação de que a maioria dos democratas é a favor de que o partido indique o vice na chapa majoritária da oposição, Bocalom afirma que é ao contrário. Ao que parece, a grande maioria defende uma candidatura própria. Pelo menos é o que diz Bocalom.

Em Brasília
Essa questão será resolvida no próximo dia 10, em Brasília, na presença do presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia. Há quem diga que Tião Bocalom quer empurra a reunião para o dia 16.

Parlamento estadual
A candidatura de Charlene Lima (PTB) a uma vaga na Aleac se mantém, portanto, não procede a informação de que sairia candidata à Câmara Federal.

Proposta
O vereador Roberto Duarte pediu o retorno dos cobradores de ônibus aos seus postos de serviço. Ele afirma que existe uma lei em vigor que regulamenta o transporte coletivo no município e faz a separação de motorista e cobrador, tornando necessária a presença dos dois dentro do veículo.

Apreciada e votada
A matéria segue agora para a análise nas comissões e deverá seguir para votação em plenário ainda no primeiro semestre deste ano.