Coluna Política Local – 08.04.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 08.04.2018

Preso
O ex-presidente Lula se entregou ontem, 7, a polícia. Tiveram aqueles que se alegram sua prisão, outros lamentaram o fato e classificaram como injustiça a prisão da maior liderança do PT no Brasil. Bem, deixando bandeiras partidárias de lado, o grande questionamento que se faz nesse momento é: O que muda no Brasil após essa data? O que muda na economia do país?

Estão preocupados
No cenário nacional, muitos políticos viram com preocupação a prisão de Lula. Avaliam que a forma como foi conduzido todo o processo, futuramente, a Justiça terá que ‘entregar’ outra cabeça. Na linha de tiro imediata estariam o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves.

Em crise
Outro receio é que a prisão de Lula traga mais instabilidade econômica e política para o Brasil, tendo em vista que há grande chance de a eleição deste ano não conseguir pacificar o país. essa bola foi cantava por diversas vezes pelo senador Jorge Viana.

Discurso
Em seu primeiro discurso público após ter a prisão decretada, o ex-presidente Lula disse que não perdoa o juiz federal Sergio Moro, o Ministério Público e a Polícia Federal por ter “mentido” sobre ele, mas afirmou que irá acatar ao mandado de prisão expedido pela Justiça Federal.

Provará a inocência
Emocionado e falando com a voz rouca, Lula citou várias passagens de sua trajetória como líder sindical. No final de seu discurso, disse acreditar que vai provar sua inocência. “Sairei dessa maior, mais forte, mais verdadeiro e inocente porque quero provar que eles é cometeram um crime”, disse.

Continua candidato I
Se em algum momento Lula teve dúvidas com relação a sua participação no pleito eleitoral desse ano, a repercussão de sua prisão pode ter lhe esclarecido muita coisa. Se depender do PT nacional, Lula é o candidato do partido, ainda que esteja preso.

Continua candidato II
“Não será o PT que vai retirar Lula das eleições”, disse o vice-presidente nacional da sigla, Alexandre Padilha.

Se fortaleceu
Se objetivo dos adversários era transformá-lo em um vilão, a missão fracassou. Lula se fortaleceu, bem como sua pré-candidatura. O fato de seus eleitores tentarem impedir que ele se entregasse a polícia mostra que boa parte da população ainda caminha ao seu lado.

Não dividirá o palanque
Ao não comparecer ao lançamento da chapa majoritária da oposição em Senador Guiomard, o prefeito André Maia corroborou a tese de que não dividirá o palanque com Gladson Cameli (PP), pré-candidato ao governo.

Chateado
Maia anda chateado com um vereador do partido de Gladson Cameli, que deveria fazer parte de sua base de sustentação, mas estaria fazendo denúncias constantes contra a prefeitura. Essa convivência conturbada não estaria sendo observada pelos líderes progressista que até o momento não interviram para aparar as arestas entre o parlamentar e André.

Novos filiados
Outro partido que vem sendo bastante procurado por quem deseja se candidatar na eleição desse ano é o PSDC. A desfiliação do deputado estadual Eber Machado contribuiu para isso. Todo mundo com medo de se candidatar na mesma legenda que Éber. Ninguém quer servir de escada para a vitória dele.

Habilitado I
O PRP já está habilitado para disputar as eleições desse ano. A aparição do nome da sigla na lista dos seis inabilitados, até à tarde da última sexta-feira, 6, era por razões de prestação de contas, mas de acordo com o presidente da sigla, Julinho Santos, tudo já foi resolvido.

Habilitado II
A Rede Sustentabilidade, que nas eleições de 2016 disputou a prefeitura da Capital e este ano pretende lançar candidato ao Senado estava na lista negra do TRE, mas foi regularizado.

PRTB e Rede
Uma aliança prévia foi celebrada entre PRTB e Rede na última semana. Com isso, o locutor Lira Xapuri ganha um reforço em sua pré-candidatura ao governo.

Assuntos desta notícia