Coluna Política Local – 11.01.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 11.01.2018

Investimentos
A governadora em exercício Nazareth Araújo anunciou investimentos do governo do Estado para 2018. Ao todo, são quase R$ 700 milhões somente na infraestrutura, entre obras, ampliações e manutenções em todo o Acre.

Pavimentação
e saneamento
Cerca de R$ 315 milhões serão destinados nas áreas de pavimentação e saneamento. A execução de obras será nas regiões isoladas, como aldeias indígenas e as cidades do Jordão, Santa Rosa, Marechal Thaumaturgo e Porto Walter.

Sistema penitenciário
Nazareth anunciou também investimentos de R$ 40 milhões no sistema penitenciário. A meta é aumentar a quantidade de vagas nos presídios e centros socioeducativos após serviços de reforma e ampliação.

Construção de escolas
Ainda de acordo com a vice-governadora, o governo pretende também construir dez escolas estaduais e nove indígenas e ampliar as ofertas da educação profissional.

Área de Saúde
Ocorre investimentos também na área de Saúde. Cerca de 56 milhões serão destinados para a conclusão do Pronto Socorro de Rio Branco, o Hospital Regional de Brasileia, o Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), também localizado na capital, e ainda para novas unidades de saúde, anunciou a governadora.

Cidade do Povo
A Cidade do Povo também receberá novos espaços. Ao todo, são quatro escolas estaduais, sendo duas de ensino fundamental e outras duas de ensino médio, cuja entrega está prevista para março deste ano, além das duas creches, uma delegacia e a Escola de Gastronomia, que também seguem em obras.

Sempre falou
Não é de causar estranheza a declaração do pré-candidato ao governo, Ulysses Araújo, de que independente do partido em que Jair Bolsonaro se filiar, ele terá seu apoio. O militar sempre demonstrou ter lado, portanto, está certíssimo em manter a palavra.

Nada muda
E quanto a sua pré-candidatura, o coronel garante que continua firme e forte. O tabuleiro não mudará devido à ausência de Bolsonaro no Patriotas. Ao contrário, o apoio é recíproco.

Outra via
Nos bastidores da política a conversa que rola é outra. Com Bolsonaro no PSL, o candidato no Acre deverá sair de dentro do partido. Se assim for, as chances de Ulysses manter a pré-candidatura são praticamente nulas.

Bocalom na jogada
Com a união entre Patriotas, PSL e DEM, já se cogitou até a entrada de Tião Bocalom (DEM) na disputa ao comando do Acre. Nada confirmado até o momento, dessa forma, Ulysses continua sendo rei do pedaço.

Estarão na disputa
Os líderes indígenas Manoel Kaxinawá e Sabá Manchinery também confirmaram presença no processo eleitoral de 2018. O primeiro tentará conquistar uma vaga na Aleac e o outro na Câmara Federal.

Sem partido
Embora tenham decidido entrar na disputa, nenhum dos dois sabe por qual partido oficializarão as respectivas candidaturas. Pelo que se comenta nos bastidores, ambos estão ressabiados tanto com a situação quanto oposição.

Sem apoio
Pelo andar da carruagem, outro que não contará com o apoio da IBB será o ex-deputado Jamyl Asfury, que concorre a deputado federal, e sua esposa Sandra Asfury, que supostamente brigará por uma vaga na Aleac.

Natural
Tendo em vista que Asfury não congrega mais na Batista do Bosque, natural que a igreja não lhe apoie. Quanto a Alan Rick, a história é bem diferente. Ele ainda faz parte da igreja.

Qual o motivo?
O fato de Alan ser da oposição não é motivo o suficiente para a perda do apoio. Se isso fosse critério, Agostinho não apoiaria a pré-candidatura Fernando Lage (DEM) ao Senado.

Assuntos desta notícia