Coluna Política Local – 17.04.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 17.04.2018

Manutenção viária
A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Emurb, começou a semana dando prosseguimento ao trabalho de manutenção viária em vários pontos da cidade, como o Conjunto Bela Vista, Cidade do Povo, Avenida Amadeo Barbosa. Os bairros Boa Vista e Plácido de Castro também foram alguns dos pontos contemplados.

Ações esperadas
As expectativas em torno da gestão da prefeitura Socorro Neri são as melhores possíveis. Embora esteja à frente da prefeitura a pouco mais de uma semana, sua forma de trabalhar já tem sido bastante elogiada. A tendência é melhorar, principalmente quando resolver a questão dos buracos na cidade.

Continuam brigando
Os conflitos dentro da coligação que apoia pré-candidato ao governo pela oposição estão longe de acabar. O episódio em Sena Madureira, no último final de semana, envolvendo o prefeito Mazinho Serafim e a presidente do PTB, Charlene Lima é a prova disso.

Outras brigas
Se Gladson não tiver pulso firme, situações como a do final de semana irão acontecer em outros municípios. O clima em Cruzeiro do Sul, por exemplo, dentro da oposição não é dos melhores.

Briga acirrada
Não coloquem em uma mesma agenda o grupo do ex-prefeito Vagner Sales e do prefeito Ilderlei Cordeiro. Será figth na certa. A tendência natural é que a briga entre os dois grupos se acirre ainda mais durante a campanha.

Também em Sena
Charlene e Mazinho juntos em qualquer agenda da oposição será briga na certa. Ainda mais depois que o prefeito de Sena teve quer ouvir calado que era um traidor.

Não prejudica?
Há quem acredite que essa desavença, como tantas outras que ocorrem no bloco, não irá prejudicar a candidatura de Gladson Cameli. Mas tenho minhas dúvidas.

Carta de Alforria
O vereador Juruna (PSL) já confirmou que não pretende seguir a determinação do partido em apoiar a pré-candidatura de Ulysses Araújo ao Governo do Estado. Não lhe passa pela cabeça, também, defender a candidatura de Jair Bolsonaro a presidente.

Recorrendo à Justiça
Nos bastidores comenta-se que Juruna já teria sido colocado contra a parede pelos correligionários. Não cedeu! Se continuarem a insistir na história, irá recorrer à Justiça para deixar a legenda sem perder o mandato.

Confiante
O deputado Raimundinho da Saúde (Podemos) está confiante que o Ministério Público do Estado (MP/AC) não entrará com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra o projeto, de sua autoria, que transformou a autarquia em paraestatal. Se realmente não acontecer, será mais uma vitória do parlamentar.

Situação delicada
A expectativa é grande com relação à ação judicial que pede o retorno aos seus cargos de todos os concursados demitidos do Pró-Saúde. Ao pleitear essa demanda, Raimundinho da Saúde colocou-se em uma situação ainda mais delicada com o governo. Os ânimos estão mais do que acirrados.

Obstáculo
Não diria que essa rixa entre Raimundinho da Saúde e o governo seja o suficiente para prejudicar a reeleição dele, mas, sem dúvida, será um obstáculo a ser superado.

Não vai
Desde que o deputado federal Major Rocha (PSDB) foi escolhido como vice de Gladson Cameli na disputa ao governo, cogitou-se a possibilidade da ex-deputada Toinha Vieira (PSDB), por sua proximidade com Rocha, desistir de apoiar a pré-candidatura de Marcus Alexandre. Não esperem por isso.

Apoiando Marcus
Toinha já declarou que não existe a possibilidade de mudar ideia. Está fora de seus planos dividir o palanque com Gladson. Um pedido de Major Rocha provavelmente não mudará em nada sua decisão.

É candidato
A executiva nacional do PT divulgou uma nota criticando o resultado da pesquisa Datafolha, divulgada no último domingo, com as intenções de voto à Presidência. Além de colocarem em suspeição a metodologia usada pelo instituto, afirmaram que o ex-presidente Lula será o candidato do partido independentemente de sua prisão.

Na liderança
O PT destaca que, mesmo após a “prisão política” do ex-presidente, Lula segue na liderança das pesquisas, com uma média entre 30% e 31% das intenções de voto para o primeiro turno. Para um eventual segundo turno, o partido acredita que Lula seria “imbatível”, com intenções de voto entre 46% e 48%.

Vistoriando a PF
E por falar no ex-presidente, a Comissão de Direitos Humanos do Senado irá vistoriar a sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Querem avaliar as condições de custódia dos presos na unidade, incluindo Lula. Os parlamentares entrarão na unidade nesta terça-feira.

Primeiro encontro
Esse será o primeiro encontro que o ex-presidente Lula terá com políticos aliados desde que foi preso, há onze dias.

Recusou
Todas as atenções estão voltadas para a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução do processo do ex-presidente. Semana passada ela recusou que um grupo de nove governadores e dois senadores entrasse na Superintendência.

Assuntos desta notícia