Coluna Política Local – 28.01.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Local – 28.01.2018

Reforço no chapão
Corre nos bastidores a informação de que o ex-deputado federal Henrique Afonso reforçará o chapão do PT na Câmara Federal. A FPA tenta impedir que a bancada petista na Câmara seja reduzida.

Sem conversa
Após o vazamento do áudio de Marcio Bittar (MDB), a possível aliança entre o PP e PMDB na disputa de vagas na Assembleia Legislativa foi questionada por alguns progressistas. A turma não quer nem saber de papo com os medebistas.

Competitiva I
Caso se confirme a aliança entre as duas siglas, os pretensos candidatos terão um trabalho duro pela frente. Será uma chapa bastante competitiva, sem dúvidas. Estarão presentes Gehlen Diniz (PP), Wendy Lima (PP), José Bestene (PP), Eliane Sinhasique (PMDB), Roberto Duarte (PMDB), Antonia Sales (PMDB), e Meiri Serafim (PMDB). Todos com ótima estrutura para o processo eleitoral.

Competitiva II
Outra aliança competitiva é a do PRB e Podemos, que contará com a presença de Juliana Rodrigues, André da Droga Vale, Raimundinho da Saúde e Josa da Farmácia. Com nomes de peso, dificilmente outras lideranças se juntarão nessa aliança. Isso significa que pelo menos dois desses parlamentares ficarão de fora da próxima legislatura.

Como será?
Muita expectativa no retorno dos trabalhos na Assembleia Legislativa. Primeiro, por ser um ano eleitoral. Há quem acredite que as sessões serão burladas pelos parlamentares. Segundo, pela votação que derrubará ou não o veto do governo ao PL de Raimundinho da Saúde, que transformou o Pró-Saúde em uma autarquia.

Bons debates
Quanto à mesa diretora, a expectativa é que se mantenha o ritmo dos anos anteriores. Com Ney Amorim (PT) na presidência, os debates correram livremente e os deputados tiveram ampla liberdade para usar a tribuna da Casa.

Sim ou não?
A defesa de Vagner Sales (MDB) para a manutenção da pré-candidatura de Marcio Bittar ao Senado fez ressurgir os boatos de que caminhará ao lado da FPA na disputa ao governo do Acre.

Ele nega
Em entrevista a um site local, Sales voltou a negar que estaria apoiando a candidatura do petista. Disse ainda que não procede a informação de que ia “desacelerar” em Cruzeiro do Sul durante a campanha de Gladson Cameli (PP) para beneficiar Marcus Alexandre.

Disse
Com relação à defesa pela manutenção da candidatura de Marcio Bittar, mesmo em detrimento da unidade da oposição, Vagner justifica Bittar. Afirma que as polêmicas declarações são normais em reuniões políticas e chama de bandido quem vazou o áudio.

Fora, Marcio!
Para muitos dirigentes da oposição, depois de destroçar o bloco, Marcio deveria ser punido e ser retirado da disputa. A falta de punição é vista pelos oposicionistas com desconfiança. Já tem dirigente dizendo que o MDB trabalha contra a candidatura de Gladson Cameli (PP).

Sem apoio
Marcio conseguiu se manter na disputa, porém, não terá moleza. Os apoios à sua candidatura diminuem a cada dia. Será uma jornada que irá trilhar praticamente sozinho. A derrota é quase certa.

Ainda sem vice
De todas as pré-candidaturas ao governo do Estado, apenas a do Coronel Ulysses (Patriota) não discutiu ainda abertamente o nome do vice. A aliança formada pelo DEM-PATRIOTA-LIVRES tem se mantido discreta quanto ao debate.

Futuro político
O resultado da eleição deste ano dirá muito sobre o futuro político de Marcio Bittar (PMDB). Mais uma derrota no curriculum diz muita coisa. O desejo de caras novas no processo eleitoral é real.

Em campanha
De olho no processo eleitoral deste ano, muitos políticos estão marcando presença no interior do Estado. Aproveitam o recesso parlamentar para visitar as bases e fortalecer alianças.

Pouco provável
Em conversa com um progressista, eu ouvi o comentário de que o partido trabalhará para fazer o senador Gladson Cameli (PP) ser bem votado na Capital. Então, até acredito que ele possa ter uma boa votação em Rio Branco, mas acho pouco provável que ganhe por aqui. Esse é o reduto mais forte do prefeito Marcus Alexandre (PT).

Fórum Mundial da Água
Entre os dias 18 e 23 de março deste ano, o Brasil sedia a 8ª edição do Fórum Mundial da Água. O evento reunirá especialistas e autoridades de mais de 150 países para discutir o uso racional dos recursos hídricos no planeta.

Coordenando
No Senado Federal, o senador Jorge Viana (PT/AC) coordena os preparativos do evento de parlamentares dentro da programação do fórum, que será realizado no dia 20 de março.

Ele disse
“Este tema é um dos mais importantes que temos na atualidade. Estamos falando de água, um recurso escasso, que é sinônimo de vida e gera conflitos em diversas partes do planeta. O conflito pela água pode gerar muito mais disputas se não encontrarmos maneira adequada de lidar com esse recurso”, avaliou Jorge Viana.

Assuntos desta notícia