Coluna Política Nacional – 03.02.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Nacional – 03.02.2018

Juízes não pagam imposto sobre auxílio-moradia
Os “privilégios do Poder Judiciário” estão na mira de deputados e senadores, que prometem pôr fim a penduricalhos como auxílio-moradia de R$4.377 mensais, que juízes recebem ainda que sejam donos dos imóveis onde residem. Os parlamentares, que não falam em suprimir idêntica regalia no Legislativo, afirmam que no Judiciário não se paga imposto sobre auxílio-moradia e outros rendimentos.

Farra bilionária
Só no Judiciário, o custo do auxílio-moradia supera R$1 bilhão anuais. Outro bilhão são gastos do mesmo modo no Executivo e no Legislativo.

‘Verbas indenizatórias’
Auxílio-moradia e diárias, muito usadas para engordar salários, para a Receita entram na categoria de “verbas indenizatórias não-tributáveis”.

Atrasado sem impostos
Quando se recebem atrasados, no Judiciário, não se pagam impostos. “Atrasados” são também “verba indenizatória” não tributável.

Confiança no STF
O ministro aposentado Carlos Ayres Britto é um otimista. Ela acha que o Supremo Tribunal Federal vai acabar com auxílio-moradia na Justiça.

Kakay acha impossível Portugal extraditar operador
O advogado Antonio Carlos Almeida Castro, o Kakay, considera impossível a pretendida extradição de Raul Schmidt, operador investigado pela Lava Jato. Schmidt, que tinha cidadania portuguesa, teve o processo de naturalização concluído durante as investigações e, como o Brasil não extradita brasileiros natos, não será possível manter a condição de reciprocidade oferecida às autoridades de Portugal.

Não se extraditam nacionais
A defesa de Schmidt consultou os melhores juristas portugueses, que confirmaram não haver possibilidade de extraditá-lo após o novo status.

Perigo para o governo
Kakay considera a situação diplomática como delicada e afirma que ela pode abrir um “precedente que vai expor o governo brasileiro”.

Não é foragido
A defesa do operador sustenta que ele não está foragido. O caso, após a condição de português nato, ainda não foi resolvido em Portugal.

Rejeição e prisão
A reprovação do governo Temer de 70% só rivaliza com a torcida pela prisão do ex-presidente petista Lula. Segundo dados do Paraná Pesquisa, a prisão é desejada por cerca de 82% da população.

Assim é, se lhe parece
Advogados de Lula continuam vendo apenas o que desejam: para eles, agora, a prisão após decisão condenatória em segunda instância, decidida pelo Supremo Tribunal Federal, “não tem caráter vinculante”.

Tutti buona gente
Na Etiópia, Lula queria encontrar Obiang Mbasogo, presidente da Guiné Equatorial desde 1979, Idriss Deby (Chade, desde 1990) e Paul Kagame (Ruanda, desde 1994). Se gritar “pega”, não fica um.

País de mau humor
Se 36,4% da população querem escolher um presidente otimista para o Brasil, segundo estudo da consultoria Cambridge Analytic Ponte, 16,6% acham que o sucessor de Michel Temer deve ser pessimista mesmo.

É uma África
Ex-funcionário da embaixada do Brasil em Burkina Faso acusa a representação de “demissão injusta” e “preconceito”. Um motorista foi demitido por dirigir de forma irresponsável, após repetidos avisos.

Porralouquice tem limite
Os petistas Gleisi Hoffmann (PR) e Lindbergh Farias (RJ) poderão enfrentar processo no Conselho de Ética por quebra do decoro. Eles pregam desobediência civil e uso de armas contra a prisão de Lula.

Mais ratos na Câmara
Funcionários da Câmara dos Deputados encontraram mais ninhos de ratos em salas da Casa. Até em gabinetes de liderança. Para ser realizada a dedetização precisaram derrubar uma parede.

Governo é maioria
O MDB continuará a ser o maior partido da Câmara do Deputados, em 2018. Atualmente são 59 deputados na bancada do partido de Michel Temer. O PT de Lula e Dilma é o segundo maior, com 57 deputados.

Assuntos desta notícia