Coluna Política Nacional – 17.04.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Nacional – 17.04.2018

Governador acusa procuradora de perseguição
O governador do DF, Rodrigo Rollemberg, e o seu secretário de Saúde, Humberto Fonseca, ingressaram com reclamação junto ao Conselho Nacional do Ministério Público acusando de “perseguição pessoal e política” e abuso de autoridade a procuradora Marisa Isar, do Ministério Público do DF (MPDFT). Afirmam que Isar usa o cargo para intimidar e constranger integrantes da gestão até com ações de improbidade por situações de 2008, sete anos antes da posse do atual governo.

Ainda sem saber
A reclamação contra a procuradora é de 14 de fevereiro, mas o MPDFT informou que ela ainda não tomou conhecimento do seu teor.

Lista de casos
Na reclamação ao CNMP, órgão de controle do Ministério Público, o governador e o secretário alegam fatos envolvendo a procuradora.

Escolhendo juiz
A reclamação diz que a procuradora Marisa moveu uma ação e depois criou outra, idêntica, por não gostar do juiz sorteado para a primeira.

Briga antiga
Há anos Marisa viu irregularidades no modelo de gestão do Hospital da Criança, apesar do sucesso e aprovação de 98% de pacientes do SUS.

Maria Helena vence o ego para continuar no MEC
A secretaria-executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães, do PSDB, esperava substituir o ex-ministro Mendonça Filho, mas prevaleceu a vontade do DEM, que bancou o ex-secretário nacional de Educação Básica, Rossieli Soares. O presidente Michel Temer pediu que ela continuasse, para não perder o tucanato de vista, e Maria Helena acabou superando o próprio ego, aceitou ficar no cargo.

Não colou
Maria Helena indicou para seu lugar, na secretaria-executiva, o diretor de Educação à Distância da Capes, Carlos Lenuzza. Não colou.

Jogada política
A indicação frustrada de Lenuzza para nº 2 do MEC foi uma jogada política: ele é ligado ao poderoso ministro Eliseu Padilha (Casa Civil).

Respeitada
Apesar desses problemas, a secretária-executiva do MEC é considerada uma das maiores especialistas em educação do País.

Vai ficar pior
O acordo de leniência da agência de propaganda Borghi Lowe (atual Mullen Lowe) deve complicar a situação do ex-deputado petista André Vargas, cumprindo pena por receber comissão do contrato dessa empresa com a Caixa. E implicar de vez os executivos do banco.

Déficit de visitas
Após a visita à sala com banho quente e TV de Lula, os senadores ficam devendo explicar por que nada fizeram para acabar as condições carcerárias degradantes de presídios como Pedrinhas (Maranhão).

No caminho de Lula
Os novos presidente e vice, desembargadores Carlos Eduardo Moreira Alves e Kassio Nunes Marques, vão comandar o TRF-1 por dois anos e devem julgar ao menos um processo envolvendo Lula.

Senador Police
O vereador paulistano José Police Neto (PSD) vai dar um salto maior que o habitual, na carreira. Ele é candidato ao Senado, em outubro, nada diferente disso. Nem mesmo ser vice de Dória (PSDB).

Vigarice patrocinada
Arapucas de telemarketing continuam atormentando os brasileiros, sob a omissão da Anatel, com ligações que desligam quando atendidas. Elas simulam a ligação para fazer “prova”, junto às empresas que as contrataram do “grande número” de ligações para vender produtos.

Teatro de ‘guerra’
O ataque dos EUA, França e Reino Unido à Síria foi tão estranho que até parece combinado com a Rússia, que, aliás, nem reagiu. Isso sem citar a história, ainda não comprovada, do uso de armas químicas.

Licitações e Lava Jato
A comissão que analisa a “nova” Lei de Licitações realiza encontros esta semana, incluindo o seminário “Propostas para Evitar Graves Retrocessos na Lei de Licitações que Levaram à Lava-Jato”.

Cumplicidade
O MTST se apresenta como defensor dos direitos dos sem-teto, mas reclama da Justiça em vez de denunciar a corrupção do ex-presidente que esteve tanto tempo no poder e não resolveu o problema dos que não têm moradia. A não ser o dele mesmo, com o tríplex do Guarujá.

Assuntos desta notícia