Coluna Política Nacional – 20.01.2018 – Jornal A Gazeta

Coluna Política Nacional – 20.01.2018

Leniência: empreiteiras querem TCU bem longe
A lei proíbe que, nos acordos de leniência, as empresas escolham os crimes a confessar e as impede de indicar maracutaias a reparar, e também as coíbe de apontar órgãos com os quais desejam colaborar. Mas é exatamente o que tentam empreiteiras da Lava Jato como UTC e Andrade Gutierrez, incluindo afastar o Tribunal de Contas da União (TCU) das tratativas. Querem devolver uma fração mínima do que roubaram, mas sabem que o rigor técnico do TCU jamais o permitiria.

Há leis no Brasil
As empreiteiras defendem diretrizes europeias nos acordos de leniência, mesmo contrariando a Constituição e as leis brasileiras.

Nomes aos bois
Advogados até assinaram artigo na Folha contra a atuação do TCU nos acordos, mas sem contar que atuam em defesa da UTC e da Andrade.

Sem homologação
O TCU sustenta que, ao contrário do que afirma artigo dos advogados, acordos de leniência de Curitiba não são homologados judicialmente.

Nem vem que não tem
Os ministros Ricardo Lewandowski e Cármen Lucia negaram aos advogados das duas empreiteiras a suspensão de decisões do TCU.

‘Xerife’ da prisão, Cabral virou problema disciplinar
A decisão do juiz Sérgio Moro de transferir o ex-governador Sérgio Cabral para o presídio federal de São José dos Pinhais (PR), foi motivada por questões disciplinares. Como esta coluna advertiu há três meses, Cabral assumiu o posto de “xerife” da cadeia, com direito até a segurança privado. Esse tipo de liderança negativa na prisão fez a Justiça retirar o super-traficante Fernando Beira-Mar do Rio de Janeiro.

Bandidão-chefe
Como “xerife” da cadeia, Sérgio Cabral circulava livremente no bloco onde estava preso, sob “escolta” de agentes penitenciários.

Regalias de ‘Xerife’
Forjaram a doação de equipamentos de home-theater ao presídio de Benfica, e regalias como quitutes, camas novas, encomendas, visitas.

Faltam os cúmplices
Punido pelas regalias, Cabral ficará 15 dias sozinho e sem TV, no Paraná. Para quem autorizava as regalias no Rio, por enquanto, nada.

Pela derrubada do veto
Dezenas de entidades apoiam a derrubada do veto de Temer à Lei do Refis, como Associação Brasileira de Supermercados, Câmara Nacional de Dirigentes Logistas, Frente Nacional dos Prefeitos etc.

Pode isso?
O ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) brincou com a possibilidade de o presidente ser candidato à reeleição: “Michel Temer pode? Pode. Não quer. Diz que não quer, mas…”.

Saco sem fundos
O MEC distribuiu R$981,4 milhões de “salário educação”, tungados das empresas. Grana suficiente para pagar a formação de 1.212 brasileiros na prestigiada (e cara) universidade de Harvard. Mas foi para o saco.

Lula, o homofóbico
Setores LGBT que apoiam Lula esqueceram rapidamente que, depois do deputado Jair Bolsonaro, nenhum outro político fez tantas declarações homofóbicas quanto o ex-presidente – que não esconde seu desconforto no vídeo em que dois homens se beijam à sua frente.

Brasil em Tirana
O governo da Albânia concedeu agrément a Francisco Carlos Ramalho de Carvalho Chagas, que será o embaixador do Brasil em Tirana. Ele estava em

Eles lembram
Marcado para 25 de abril, em Pistoia (Itália), o festival “Entre Amigos – Brasil e Itália” fará uma homenagem à Força Expedicionária Brasileira, que livrou cidades italianas do domínio alemão na Segunda Guerra.

Pena que não é brazuca
A Apple fez acordo para pagar R$125 bilhões à Receita dos EUA em impostos sobre o lucro obtido no exterior. Se fosse brasileira, só esses impostos pagos pela empresa cobririam 90% do rombo no orçamento.

Pensando bem…
…a boa notícia é que o surto não é de febre vermelha.

Assuntos desta notícia