Conhecimento e ciência pautam gestão de Tião Viana – Jornal A Gazeta

Conhecimento e ciência pautam gestão de Tião Viana

Mesmo antes de começar a gestão, o governo de Tião Viana frente ao estado do Acre foi pautado no conhecimento, seja empírico ou acadêmico. Antes de sua posse, uma grande equipe realizou por meses diversas audiências públicas em todo o território, dados que serviram de base para os planos de governo dos dois mandatos.
Vemos aqui, políticas públicas pautadas em uma visão de futuro para a população, com geração de empregos, geração de renda, além de melhorias na saúde, segurança e educação. Nesta linha de trabalho, temos as formações acadêmicas para os profissionais e servidores do Estado, como uma ferramenta para a evolução do governo.
Há dois anos, o entusiasmo de três professores fez surgir o Projeto Acre, uma parceria do governo do Estado com a Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), em São Paulo, com participação da Universidade Federal do Acre. Os professores Tião Viana, Luiz Carlos de Abreu da FMABC e Pascoal Muniz, então diretor da Fundação de Amparo à Pesquisa do Acre (Fapac), lançaram o projeto que levaria 40 servidores acreanos para a formação acadêmica de mestrado e doutorado.
Passada as batalhas, que só os mestrandos e doutorandos podem dimensionar, no último mês de março de 2018 foi o início das defesas das dissertações. Durante a última semana, entre os dias 19 e 23, os alunos chegaram à etapa final de uma jornada e início de outra.
Entre uma defesa e outra, alguns sentimentos foram aflorando naquele ambiente acadêmico, formal e com regras a seguir. Um era poder ver um chefe do poder executivo discutir, enquanto professor doutor e membro da banca, sobre alguns dos principais problemas enfrentados para quem administra a saúde pública. Outro, era perceber em cada um dos alunos a alegria, felicidade e tensão pelos desafios ali terminados e dos outros que começavam logo em seguida.
O professor Luiz Carlos, durante uma das bancas de defesa, pontuou que poucos são os governadores brasileiros que têm uma carreira acadêmica, como Tião Viana. Em uma pesquisa rápida pela biografia dos governadores de todo o país, poucos possuem a graduação, menos ainda o mestrado e até onde pode-se apurar, só Tião Viana possui o doutorado.
“Seu legado, professor [Tião Viana], foi deixar esse princípio da educação pautado no pensamento científico. O povo do Acre hoje deve se felicitar por ter governantes e estudantes como vocês. Esse é um dos trabalhos mais belos que fizemos ao longo desses 50 anos na Faculdade de Medicina do ABC”, afirmou Abreu.
Esse envolvimento também é mencionado pelos alunos. Naildo Cardoso, líder do grupo de acreanos em São Paulo, falou sobre sua experiência e sobre a participação do governador debatendo na banca. “É magnífico estar aqui, trocando essa experiência com os colegas que fizeram a defesa na presença do professor Tião Viana, como membro da banca. É magnífico saber que o Acre, nos próximos três anos, ganhará cerca de 100 doutores para modificar a ciência na Amazônia Ocidental. Para nós é um abraço muito apertado ao nosso governador, por nos possibilitar essa formação acadêmica e devolver isso para a sociedade em nosso estado”, declarou.
O outro sentimento que permeou toda a semana foi o de agradecimento e superação. “Graças a esse convênio do governo do Estado com o Faculdade de Medicina do ABC, estamos aqui para enfrentar mais um desafio”, declarou Maura Regina. “Eu acredito, que a partir de agora, o governo do Estado do Acre vai poder nos utilizar para implantação de várias políticas públicas em prol da saúde da população”, completou Maura, mostrando que ao final deste processo, estará pronta para servir com mais conhecimento.
Essa iniciativa do governador Tião Viana, de buscar a qualificação para os servidores, principalmente na área da saúde, se torna ainda mais importante dentro do cenário nacional deste setor. O Acre é um dos únicos estados em que a população depende 95% de serviços oferecidos pela saúde pública, enquanto em uma tendência global, o poder público tem feito uma redução das suas atividades econômicas e sociais diretas.
Em questão de investimento, o governo investe cerca de 900 milhões de reais na rede pública estadual de saúde. O que se torna um desafio para a gestão, pois conforme dita a Constituição Federal, os gastos com a saúde pública devem ser de 12% da Receita Corrente Bruta do Estado, porém, o governo aplica acima do que determina a legislação, com média de 15,8%.
Os depoimentos dos servidores e estudantes que estão participando desta iniciativa demonstra o compromisso do governo com a busca contínua pela melhoria. O futuro do estado passa pelo conhecimento e compromisso de quem está hoje gerindo o Acre.

 

*Arison Jardim é jornalista.

Assuntos desta notícia