COPA DO MUNDO x MOBILIDADE URBANA

Postado em 18/07/2015 20:11:00

Hoje dia 18/07/2015 é o Dia: Nacional do Trovador.

Mobilidade urbana, a maior promessa e a maior decepção da Copa.

Apenas 10% das intervenções foram feitos. Muitas incompletas.

ADAMO BAZANI – CBN – SP
Prometidas como um dos maiores legados para a população deixados pela Copa do Mundo 2014 no Brasil, as obras de mobilidade urbana apresentaram os maiores atrasos.

Apenas 10% de tudo o que foi prometido para melhorar o ir e vir dos turistas e da população depois do evento esportivo foram feitos nas cidades-sede. E uma parte destas obras ainda está incompleta.

São melhoramentos de ruas, avenidas, construção de corredores de ônibus, monotrilhos, VLTs – Veículos Leves sobre Trilhos e de sistemas de Metrô.

Estas obras fazem parte da “matriz de responsabilidades” para a Copa entre Governo Federal, estados e municípios.

A primeira matriz foi firmada em 2010 e depois alterada, se tornando, mas flexível. Mesmo assim, os atrasos preocupam.

Em São Paulo, a maior parte das obras de mobilidade foi concluída, mas o transporte coletivo não teve prioridade. A nova sinalização dos trens da linha 3 Vermelha do Metrô, que permitiria menor distância entre as composições e mais oferta, só vai ficar pronta em 2015. Um corredor de ônibus na Radial Leste, apontado como essencial para desafogar o metrô e os trens da CPTM na região, não tem previsão, apesar de promessas. A prefeitura de São Paulo enfrentou entraves políticos, jurídicos e administrativos para a realização da meta de 150 quilômetros de corredores até 2016.

O VLT – Veículo Leve sobre Trilhos, de Cuiabá, que deveria ligar o aeroporto à região central, só vai ficar pronto depois do mundial.

Em Curitiba, o corredor de ônibus entre o aeroporto e as proximidades do estádio também teve as obras atrasadas. As empresas que iam fazer a obra não receberam e rescindiram os contratos.
Em Fortaleza, vários projetos de corredores de ônibus foram deixados para depois e a mudança do projeto do VLT também comprometeu a entrega das obras.

Em Salvador, a prefeitura disse que o BRT inviabilizaria o metrô, mas os próprios técnicos da prefeitura apontaram em relatório, a necessidade dos dois modais parta atender à população, com poucas adequações do corredor de ônibus.

Em Porto Alegre, também houve atrasos nas obras de corredores de ônibus.

A pergunta que fica é: Se não houve agilidade e comprometimento antes da Copa, que mexe com a imagem do Brasil para todo o mundo e exige intervenções urgentes, depois da Copa como será o ritmo das obras de mobilidade?

Em relação às obras gerais, contando estádios e aeroportos, por exemplo, das 167 anunciadas, 68 intervenções, ou 41%, estão prontas. Outras 88 obras – 53% – sequer saíram do papel ou vão ser entregues só depois da Copa, apesar de estarem na matriz de responsabilidades. Onze projetos foram abandonados, como o Terminal Rodoviário de Itaquera, em São Paulo.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN – SP, especializado em transportes.

Reportagem sucinta do jornalista acima, porém com abrangência completa.

A verba para tais obras, até onde sabemos, foram repassadas aos estados e municípios mas não estamos vendo a continuidade para a complementação da dita “Mobilidade Urbana” que tanto defendem os atores da área.

Não se pode falar em mobilidade sem antes verificar a realidade de cada localidade e se tal localidade tem condições de colocar em prática obras e outros tantos entraves a serem superados. Não se fala em mobilidade onde encontramos degraus intransponíveis nas calçadas ou comerciantes que simplesmente avançaram com o seu negócio para aumentar a capacidade de atendimento do seu estabelecimento. Não se fala em mobilidade onde não existe calçada ou quando ela é intransitável. A mobilidade começa justamente nas calçadas das cidades onde a maioria transita no início e fim do seu ir e vir diário.

www.naganuma.com.br
mn@naganuma.com.br
Twitter – @mtnaganuma

editorial

Uma boa medida

 

Como este jornal mostrou na edição de domingo, pelo menos, aqui, no Estado, as autoridades de segurança estão tomando medidas para evitar as chacinas que vêm se sucedendo em diversos estados com as disputas entre as famigeradas facções e, ao mesmo tempo, prevenindo e combatendo a criminalidade aqui fora com ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook