Cristãos-múmias, errantes ou teimosos: um exame de consciência para nós – Jornal A Gazeta

Cristãos-múmias, errantes ou teimosos: um exame de consciência para nós

Um bom pai certamente é carinhoso, mas também sabe puxar a orelha de seus filhos na hora certa! Assim fez o Papa Francisco em recente homilia na Casa Santa Marta (03/05): falou sobre quatro tipos de posturas negativas que nós, cristãos, podemos assumir: o cristão-múmia, o cristão errante, o cristão teimoso e o que para no meio do caminho. Se formos honestos conosco, veremos que, ao menos em algum breve momento de nossa vida – ou até mesmo agora – já encarnamos um desses tipos. O Papa, então, nos sugere esse exame de consciência diário; que ao menos cinco minutos por dia nos dediquemos a pensar sobre essas questões: Como vai o “caminho cristão que iniciei no Batismo? Está parado? Errei o caminho? Vago continuamente e não sei aonde ir espiritualmente? Paro diante das coisas que gosto: a mundanidade, a vaidade” ou vou “sempre adiante”, tornando “concretas as Bem-aventuranças e as Obras de misericórdia?”.

Cristão Múmia: É o famoso “nem fede, nem cheira”. Não é má pessoa, mas também não pratica nenhum bem relevante. O Papa explica: “Um cristão que não caminha, que não percorre a estrada (…): fica ali, parado, não vai avante na vida cristã, não faz florescer as bem-aventuranças em sua vida, não faz obras de misericórdia… É estático. Desculpem-me a palavra, mas é como se fosse uma ‘múmia’, uma ‘múmia espiritual’. Parados… Não fazem mal, mas não fazem bem”. Sobre as OBRAS DE MISERICÓRDIA, confira o nosso post: “Saiba o que o Papa espera de você no Ano da Misericórdia”. Atenção: o caminho para evitar ser uma “múmia espiritual” não é ser um cristão ativista! Podemos estar envolvidos em mil e uma atividades da Igreja, e mesmo assim o nosso coração está distante de Cristo, de Seu amor. “Fazer coisas” não necessariamente é sinônimo de fazer a vontade de Cristo (lembremos da passagem do Evangelho sobre as irmãs Marta e Maria). O ativismo é uma tentação de todos nós, padres ou leigos.

Cristão Teimoso: É aquele tipo que insiste em se apegar ao erro, mesmo depois de algum irmão provar que ele está errado, por meio da palavra dos papas, dos santos e das Escrituras. Sobre isso, o Papa Francisco ensina que “a tragédia é ser teimosos e dizer ‘este é o caminho’ e não deixar que a voz do Senhor nos diga ‘volte atrás e retome o caminho certo’”. Portanto, a maior desgraça não é estar errados, mas sim não ter a humildade e a coragem de rejeitar o erro e abraçar a verdade, quando ela se apresenta a nós. Em homenagem a esse pessoal, aí vai a cena do burro teimoso de Family Guy, obstinado me negar que o Kevin Bacon atuou em Foot Loose.

Cristão Errante: É aquele que não tem rumo, que não sabe para onde vai. “São errantes na vida cristã, vagantes. A vida deles é vagar, aqui e ali, e perdem assim a beleza de se aproximar de Jesus. Perdem o caminho porque vagam e, muitas vezes, esse vagar, vagar errante, os leva a uma vida sem saída: o muito vagar se transforma em labirinto e depois não sabem sair. Perderam o chamado de Jesus. Não têm bússola para sair e vagam; procuram” – esclarece o Papa.

Cristão que param no meio do caminho: “Há outros que no caminho são seduzidos por uma beleza, por algo e param na metade do caminho, fascinados por aquilo que veem, por aquela ideia, por aquela proposta, por aquela paisagem … E param! A vida cristã não é um fascínio: é uma verdade! É Jesus Cristo!”. É verdade, Papa Francisco! O Cristianismo é muito mais do que um conjunto de belos valores ou um conjunto de belas tradições: é a verdade, é a vida! É preciso amar Deus feito Homem, Jesus Cristo, e nos deixar ser transformados por Ele, dia após dia, como fez São Francisco, Santa Clara de Assis, e tantos outros santos da Igreja Católica.

Encerramos este artigo rezando a oração de Nossa Senhora dos Anjos, padroeira e advogada de toda a Família Franciscana, celebrado ontem, 02 de agosto, interceda por todas as nossas intenções e necessidades materiais e espirituais: “Augusta Rainha dos céus e soberana Senhora dos Anjos, Que recebeste de Deus o poder e a missão de esmagar a cabeça de Satanás, Nós vos pedimos humildemente: Enviai as legiões celestes para que, sob Vossas ordens persigam os demônios; Combatam-nos em toda a parte, reprimam a sua audácia e os precipitem no abismo. Quem é como Deus? Santos, anjos e arcanjos protegei-nos, defendei-nos! Ó boa e terna Mãe, vós sereis sempre O nosso amor e a nossa esperança! Ó divina mãe, enviai os vossos anjos, Para que nos defendam e afastem de nós O cruel inimigo! Assim seja!” (Papa Leão XIII).

E que nestes 800º anos (1216 -2016) do Perdão de Assis, em especial neste Ano Jubilar (2016 – 2017), se estenda sobre todos os leitores e leitoras do Jornal A GAZETA! Paz e Bem.

Fonte: www.ocatequista.com.br

Interino do Frei Paulo Roberto – OFM Cap.

Narciso Cândido L. Neto – Coordenador do Núcleo em Formação da
Fraternidade da Ordem Franciscana Secular – OFS. Encontro todo 4º domingo do mês na Paróquia Santa Inês, às 07:00 horas

Assuntos desta notícia