Fingindo que não vê

Postado em 03/01/2017 15:57:57

Essa chacina de 60 detentos, ocorrida em Manaus no final de semana, só vem confirmar o alerta que governos estaduais estão fazendo de que as chamadas facções criminosas emigraram dos grandes centros, como São Paulo e Rio de Janeiro, e hoje são responsáveis pelos altos índices de criminalidade nos estados.

Para se ter uma ideia do que aconteceu em Manaus, essa chacina já está sendo comparada ao massacre de Carandiru, em São Paulo, na década de noventa, pela extrema crueldade, com presos esquartejados e decapitados.

Contudo, apesar dessas barbáries, que vem ocorrendo em vários estados, inclusive já houve confronto entre essas facções aqui no Acre, o que intriga e revolta é que o Governo Federal finge que não não tem nada a ver com o problema. E quando acontecem, o ministro da Justiça se limita a dar um telefonema para o governador.

Porém, é preciso deixar claro que o Governo Federal é tão ou mais responsável que os governos locais, considerando que essas brigas entre facções estão se dando pelo domínio dos chamados “territórios” do tráfico de drogas e armas, que entram pelas fronteiras, cuja responsabilidade maior e primeira é do Governo Federal.

Preocupado com o que aconteceu em Manaus e que poderá se repetir aqui, o governador Tião Viana telefonou ontem para a presidente do STF, Carmen Lúcia, e para o ministro da Justiça alertando-os sobre a gravidade do problema.

editorial

Armando palanque

 

Ao invés de se preocuparem em juntar esforços para a obtenção de recursos para a recuperação e construção da BR-364 até Cruzeiro do Sul, que está praticamente fechada, alguns deputados insistem na instalação de uma CPI para apurar supostos desvios em obras realizadas em anos passados. Nada a opor ao debate ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook