Forte chuva causa transtornos e Corpo de Bombeiros registra 51 quedas de árvores – Jornal A Gazeta

Forte chuva causa transtornos e Corpo de Bombeiros registra 51 quedas de árvores

 

Árvores caídas, algumas sobre residências e fiação elétrica, alguns bairros ficaram as escuras durante um bom tempo, muito vento, raio e trovões esse foi o resultado de mais de uma hora de uma forte que atingiu Rio Branco na noite deste domingo, 10. Segundo o Corpo de Bombeiro do Acre fora registradas 51 quedas de arvores durante e após o temporal.

Apesar da velocidade do vento e da intensidade da chuva, não houve registro de vítimas, apenas danos materiais. De acordo com o pesquisador meteorológico, Davi Friale, às 4 horas da tarde do último domingo – 10/12/2017 -, a temperatura, em Rio Branco, era de 33ºC, com muito sol. Cerca de 60 minutos depois, nuvens carregadas rapidamente encobriram o céu da cidade derrubando a temperatura para 21ºC,
Ventos intensos da direção sudeste, com rajadas registradas de 63km/h, atingiram a cidade.

No total acumulado do dia foram 71,4mm, no Centro da cidade. Na região do Tucumã, choveu menos: 41,8mm. Com estas chuvas, o total deste mês de dezembro, até agora, já atingiu 156,6mm, o que equivale a 60% da média climatológica do mês, constatou Friale.

De acordo com o major do Corpo de Bombeiro, Claúdio Falcão, ventania e temporais não são característicos para o mês de dezembro. “Esse tipo de fenômeno de agosto, setembro e outubro. Devido a mudanças climáticas e instabilidades podem ocorrer em qualquer período. Equipes atuaram no domingo e durante toda a segunda-feira para atender todos os pedidos de socorro”.

A causa desse mau tempo foi a chegada de uma fraca frente fria ao sul da Amazônia Ocidental, detalhou Friale. Enquanto que o major reiterou que dias antes foram registradas altas temperaturas.

Nível dos rios

Segundo o major do Corpo de Bombeiro, o nível do Rio Acre em Rio Acre está na melhor cota dos últimos sete anos. Com seus atuais 6.63 metros. “Mas, isso não é motivo para comemoração porque a instabilidade é muito grande. Estamos com uma cota razoavelmente boa e o Rio Acre no interior não está tão boa. Mas, a expectativa é que em dezembro, janeiro e fevereiro acima de 10 metros para podermos ter uma segurança maior no próximo verão que virá no final do primeiro semestre de 2018.

Enquanto isso, o rio Juruá em Cruzeiro do Sul atingiu nesta segunda-feira, 11, a cota de 11.15 metros, de acordo com o site Juruá Online. A cota de alerta é de 11,80m. Com a situação, pelo menos 40 famílias do bairro da Lagoa já tiveram a energia de suas residências suspensas, por medida de segurança. Quando a água começa a tingir as primeiras casas a Eletrobrás toma esta medida todos os anos.

Mesmo assim, o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) tem uma previsão nada animadora para a região. De acordo com o meteorologista do sistema, Luiz Alves falou em uma reunião pré-cheia realizada nesta segunda, que o Vale do Juruá pode ter uma outra grande cheia. Ele falou ainda que nos próximos três meses a constância das chuvas pode ficar acima da média para a região.

A reunião envolveu a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Defesa Civil Municipal e o Corpo de Bombeiros e foi feita para tratar ações de planejamento antes da enchente.

Previsão do tempo para terça-feira, 12

No Acre, predomínio de tempo quente, com sol e nuvens. Pode chover de forma rápida em alguns pontos do estado, principalmente no vale do Juruá. A umidade do ar mínima, durante a tarde, varia, entre 45 e 65%, no leste e no sul do estado, e, entre 50 e 70%, nas demais áreas.

Os ventos sopram, entre moderados e fracos, da direção sul e variações de sudeste e de sudoeste.

Temperaturas

– Rio Branco, Senador Guiomard, Bujari e Porto Acre, mínima, entre 20 e 22ºC, e máxima, entre 31 e 33ºC;

Fotos/Acervo pessoal
Assuntos desta notícia