Jornal A GAZETA: 30 anos de incentivo e apoio à cultura popular no Acre

Postado em 27/10/2015 16:08:11 BRUNA MELLO

Dinho Gonçalves recorda apoio do jornal à cultura. (Foto: Odair Leal/ A GAZETA)

Dinho Gonçalves recorda apoio do jornal à cultura. (Foto: Odair Leal/ A GAZETA)

Ao longo de 30 anos, o jornal A GAZETA contou a história do Acre. Momentos históricos, episódio polêmicos, casos marcantes, histórias de superação, alegria e tristeza. A vida e a morte lado a lado, este impresso mostrou dramas, mas também muita comédia. Pelo menos é assim que Dinho Gonçalves, o Palhaço Tenorino, que surgiu na mídia em meados da década de 90, recorda como o jornal colaborou para a construção da identidade cultural do Estado.

Dinho descreve como fenomenal o apoio e incentivo do jornal A GAZETA à cultura. Ele lembra que ao criar o Grupo do Palhaço Tenorino (GPT), a intenção era que todos os membros tivessem conhecimento total sobre teatro, além de levar o grupo para se apresentar em outros estados. “Uma das formas de obter conhecimento sobre teatro é ver teatro. Na década de 90, só existiam dois grupos de teatro: o nosso e mais um. Nós não tínhamos o que ver na cidade”, disse.

Na década de 90, o jornal ajudou diversas vezes o GPT na divulgação e também na arrecadação de dinheiro para as viagens do grupo. Dinho recorda entusiasmado aquele tempo. Em acordo com o setor comercial do jornal, o ator conseguia exemplares por um preço simbólico e, assim, junto com os membros do grupo arrecadavam dinheiro para viajar.

“Eu ia com meu grupo, às 4 horas da manhã, para a esquina do Mercado do Bosque vender jornal. Eu vendi jornal que custava na época R$ 1, por R$ 2, R$ 5, R$ 10. Nós vendíamos tudo, até as 10 horas da manhã. E assim, A GAZETA contribuía significativamente para nosso grupo viajar”, conta eufórico, Dinho.

Dinho destaca que o impresso também produzia conteúdo cultural, sempre oferecendo um espaço de destaque para os talentos acreanos. “Nós trazíamos os prêmios dos festivais, por exemplo, de melhor atriz e melhor música. Chegávamos aqui na redação do jornal contando do Festival e no outro dia estávamos na primeira página”, fala o ator do espaço privilegiado no jornal.

O ator diz que o espaço poderia ser menor “uma notinha pequena”, mas o jornal A GAZETA sempre fez questão de destacar os artistas acreanos. “Sempre foi uma espaço enorme que tivemos. Fotos grandes, às vezes, até uma página inteira”, completa.

Para Dinho, essa é uma das funções do jornal: se preocupar e divulgar conteúdo que mostra o Acre fazendo bonito em outros lugares. “Quando A GAZETA recebe todos os anos o prêmio nacional de jornalismo, por que não foi o jornal de Porto Velho, Piauí? A GAZETA mostra por si só que ela tem uma qualidade, por isso ela ganha prêmios”, afirma.

Por fim, o ator fala do papel jornalístico de A GAZETA, de mostrar fatos que engrandecem a cultura local. “A GAZETA colaborou e colabora porque ela abre as portas, a alma e o coração”.

editorial

Não há como ignorar

 

Não como ignorar ou negar – e o próprio secretário de Segurança Pública admite- que nos últimos dias houve nova investida das famigeradas facções criminosas com vários homicídios tanto na Capital como em algumas cidades do interior, onde até um aluno teria sido morto dentro da sala de aula. Porém, não ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook