Jovem investigado por homicídio e envolvimento em ataques a ônibus é preso em Rio Branco – Jornal A Gazeta

Jovem investigado por homicídio e envolvimento em ataques a ônibus é preso em Rio Branco

A Polícia Civil do Acre prendeu na segunda-feira, 9, Diego Lima de Oliveira, de 25 anos, por homicídio e ataques a ônibus no mês de agosto desse ano. Oliveira cumpria pena no regime semiaberto por vários crimes, entre eles tráfico de drogas, e foi preso novamente no bairro Recanto dos Buritis. Segundo as investigações, o homem era responsável por uma boca de fumo.

No mês de agosto, o Acre registrou diversos ataques a ônibus e execuções. Os coletivos chegaram a reduzir o tempo de circulação em duas horas. O serviço chegou a ser paralisado temporariamente até a chegada da escolta policial para que os veículos voltassem a circular na cidade.

Entre os dias 5 e 6 de agosto quatro ônibus foram incendiados, segundo o Corpo de Bombeiros. Um dia antes da onda de violência em Rio Branco e interior do Acre, 22 presos foram remanejados para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) no Presídio Antônio Amaro. Até à tarde do dia 6 haviam sido registrados três homicídios em Rio Branco. A Secretaria de Segurança Pública (Sesp-AC) convocou mais 400 homens para reforçar o policiamento nas ruas da capital, além dos 150 que normalmente já atuavam no trabalho.

O delegado Rêmulo Diniz explicou, ontem, 10, na Divisão de Investigação Criminal (DIC), que Oliveira foi fotografado com um coquetel de molotov nas mãos na região do Recanto dos Buritis. As investigações apontam que ele tenha ateado fogo nos ônibus do bairro.

O delegado ressaltou que Oliveira é investigado também por outros homicídios praticados na capital acreana. “A DHPP vem investigando outros homicídios na região e também em bairros vizinhos, onde alguns comparsas dele [Oliveira] já foram identificados como sendo autores. Então, estamos tentando identificar se ele tem alguma participação nos crimes. Tem passagem por tráfico de drogas, porte de drogas e agora foi preso por homicídio”, complementou Diniz.

 

Assuntos desta notícia