Mais de 73 mil pessoas assinam petição a favor da presença de Lula nas eleições de 2018 – Jornal A Gazeta

Mais de 73 mil pessoas assinam petição a favor da presença de Lula nas eleições de 2018

O manifesto “Eleição sem Lula é fraude” ultrapassou mais de 73 mil assinaturas na segunda quinzena de dezembro. A proposta tem como objetivo reforçar a presença do ex-presidente Lula nas eleições presidenciais de 2018.

“A tentativa de marcar em tempo recorde o julgamento da segunda instância de Lula no dia 24 de janeiro não tem nada de legalidade, é um puro ato de perseguição ao líder político mais popular do país”, começa o manifesto que se destina a alcançar 75 mil assinaturas.

Este ano, o juiz federal Sérgio Moro – responsável pela primeira instância em Curitiba da Operação Lava Jato – condenou petista a nove anos e meio de prisão por um crime de corrupção passiva em um caso relacionado a um apartamento localizado em Guarujá (SP) e supostamente pago pela empreiteira OAS como suborno.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região decidirá em 24 de janeiro se ratificar a sentença de Moro. Em caso afirmativo, Lula poderá ser preso e impedido de se candidatar nas eleições presidenciais de 2018.

A vitória de Lula “resultaria no fracasso do golpe” (como muitos chamam o governo de Michel Temer para chegar ao poder através do Parlamento) e “permitiria a abertura de um novo ciclo político. Portanto, para evitar a candidatura de Lula vale tudo: ele é condenado no Tribunal de Porto Alegre, a instituição do semiparlamentarismo e até mesmo adia as eleições”, diz o texto.

O movimento foi promovido através da plataforma Change.org por personalidades como o filósofo americano Noam Chomsky e o cantor e compositor brasileiro Chico Buarque.

Pesquisas

Em novo levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, o ex-presidente Lula aparece à frente de todos os possíveis adversários; Lula alcançou 17,9% no quesito ‘com certeza votaria nele para presidente do Brasil’, contra 15,1% de Bolsonaro (PSC-RJ), 4,8% de Marina Silva (Rede) e 3,6% de Geraldo Alckmin (PSDB).

 

Assuntos desta notícia