Município de Brasileia ganha nova sede do Banco da Amazônia

Postado em 20/03/2017 15:48:48

O Município de Brasileia, localizado no Estado do Acre, ganhará nova sede do Banco da Amazônia. O novo endereço será na Avenida Manoel Marinho Montes, no bairro do Eldorado. Local esse, que será realizada a Cerimônia de inauguração no próximo dia 20 de março, ás 17 horas. O evento contará com a participação do superintendente do Acre, André Vargas, o gerente da agência, Zileno Martins e o Presidente do banco, Marivaldo Melo.

Com mais de 21 mil habitantes a cidade de Brasileia tem dentre suas oportunidades de negócios, a Cadeia Produtiva do Frango, Turismo, Piscicultura e Suinocultura, todos abrangendo o município como um todo. Com a chegada da nova agência, a ideia é promover o desenvolvimento da região acreana e ofertar produtos e serviços financeiros com qualidade.

Para o Presidente do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo, “a expectativa para 2017 é alcançar a meta dos investimentos para diferentes áreas produtivas. Tudo isso, com modernas instalações que prometem mais conforto e segurança para os usuários dos produtos e serviços da instituição financeira. Temos condições de fomentar o desenvolvimento do Acre em bases sustentáveis em parceria com o governo estadual e municipal. Mas precisamos fortalecer ainda mais as parcerias, não somente com o Governo, mas também com sindicatos, associações e demais setores produtivos para a melhoria da qualidade de vida da população.”

De acordo com o Gerente Geral da Agência de Brasileia, Zileno Martins, o atendimento ao cliente é o foco principal do Banco da Amazônia. “Na verdade, nós mudamos de endereço para atender melhor o cliente, pois temos uma localização acessível, estacionamento, além de ampliar a disponibilização de crédito”, explicou.

A Agência Brasileia respondeu em 2016 pelo 4º maior orçamento de Aplicação de Fomento – FNO, da Superintendência Regional do Banco no Estado do Acre, no valor total de R$ 16,2 milhões, sendo a Meta superada em 132% (volume de contratações da sede em 2016 foi de R$ 21,4 milhões). Comparado com 2015, a Agência incrementou a Aplicação de Fomento na sua jurisdição em 68%, assistindo 241 famílias de Agricultores Familiares, via PRONAF (R$ 10 milhões aplicado no PRONAF em 2016).

Amazônia conta mais de R$ 7 bi para fomentar a economia
O Banco vai disponibilizar para este ano o valor de R$ 7,9 bilhões de recursos para toda a Região Amazônica em 2017. Desse total, R$ 4,6 bilhões são originários do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO). As demais são do Fundo de Desenvolvimento da Amazônia (FDA) e do Orçamento Geral da União (OGU). O restante, R$ 2,9 bilhões, pertence à carteira de crédito comercial da Instituição. Esse volume de recursos e suas prioridades econômicas estão elencados no Plano Global de Aplicação de Recursos Financeiros, disponível no site bancoamazonia.com.br.

De acordo com o Superintendente do Acre, André Vargas, os recursos que o Banco da Amazônia pretende aplicar no Acre em 2017 são oriundos do fomento e da carteira comercial e correspondem a R$ 368 milhões, sendo que R$ 322 milhões são do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO). “O nosso compromisso é aplicar o FNO em 100% dos municípios do Estado, priorizando a mesorregião Vale Rio Acre e tipologia PNDR nas regiões de menor dinamismo”, comentou.

Convênio de Integração:
A Superintendência do Acre, juntamente com a Agência de Brasileia é responsável, pela gestão do principal Convênio de Integração no Estado do Acre, firmado em 2016 com as integradoras Dom Porquito e Acreaves. O Convênio tem por finalidade o apoio na elaboração de projetos e a prestação de assistência técnica a empreendimentos rurais em regime de integração da cadeia de Suinocultura e Avicultura. Possibilitando a melhoria do padrão de vida das famílias dos produtores rurais participantes, com criação de empregos e melhoria da renda, além de potencializar as atividades no Estado do Acre. Os produtores integrados são assistidos pelo Banco com recursos do Fundo Constitucional do Norte – FNO e Programa de Apoio a Agricultura Familiar – PRONAF. Produtores

Trata-se de um empreendimento pioneiro na região, que surgiu como alternativa de modelo de desenvolvimento econômico e social de maneira sustentável, aonde a cadeia de produção de suíno e aves já vem sendo trabalhada/estruturada há pelo menos 05 anos no Acre. Inicialmente foi construída a unidade de produção de leitões (UPL) e desenvolvido um processo de produção integrado com pequenos produtores rurais (35 produtores de suínos e 95 produtores de aves), de forma que a instalação do frigorífico se deu após a existência de uma produção suficiente para garantir a viabilidade da implantação da indústria.

A instalação inicial do empreendimento contou com o apoio financeiro do Banco da Amazônia, através da concessão de crédito para aquisição de máquinas, equipamentos e veículos. O frigorífico iniciou suas operações em janeiro/2016 e atualmente realiza um abate diário de 250 animais e produz cerca de 20 T/dia de produtos industrializados. O complexo industrial gera hoje mais de 700 empregos diretos, sendo o maior empregador da “região do Alto Acre”, e a produção já comercializada nos mercados dos estados do Acre, Rondônia e Amazonas, com potencial de exportação para os mercados Andinos (Peru e Bolívia) e Asiáticos, principal objetivo da empresa em 2017.

Zona Franca Verde:
Além do município de Brasileia, a Zona Franca Verde (ZFV), alcança empreendedores acreanos de Epitaciolândia e Cruzeiro do Sul e, ainda, os de Tabatinga (AM), Macapá e Santana (AP), Guajará-Mirim (RO), Boa Vista e Bonfim (RR), municípios também atendidos pelo Banco da Amazônia. A instituição financeira pretende ampliar sua atuação nessas localidades já vislumbrando o potencial de negócios criado a partir da medida do Governo Federal que implantou a Zona Franca Verde.

A isenção abrange produtos resultantes da extração, coleta, cultivo ou criação animal, incluindo frutos, sementes, animais e madeiras, dentre outras atividades. As empresas que se enquadrem nesse perfil são isentas do pagamento do IPI e podem, ainda, se beneficiar da isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços. No Amapá, por exemplo, o governo já planeja diminuir de 17% para 7% o ICMS às empresas que comercializarem produtos oriundos da Zona Franca Verde.

É nessa nova configuração geográfica, comercial e tributária que o Banco pretende aumentar os negócios com os empreendedores. “Nossos clientes agora sabem que o benefício fiscal está consolidado, criando, assim, inúmeras possibilidades de negócios e de crescimento à região. É possível incrementar toda uma cadeia produtiva, beneficiando do pequeno produtor ao grande empresário. E todos ganham, pois há mais geração de emprego e renda”, ressalta André Vargas. Dentre os produtos que os empresários da ZFV podem fazer uso estão o FNO Amazônia Sustentável Não Rural, para investimentos em equipamentos, máquinas e veículos utilitários, e o FNO Amazônia Sustentável Rural, para ampliação da produção e custeio.

SERVIÇO:
Evento: Inauguração da nova sede do Banco da Amazônia em Brasileia/AC
Data: dia 20 de março, às 17:00h,
Local: Avenida Manoel Marinho Montes, Eldorado, n°1.169
Horário: 17 horas
Contato: 3546-2525 (Zileno Martins, Gerente Geral da Agencia de Brasileia)
Sugestão de entrevista: Presidente do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo, Superintendente do Acre, André Vargas e o Gerente, Zileno Martins

editorial

Decisão “nefasta”

 

Classificando como “nefasta”, o deputado Raimundo Angelim subiu à tribuna da Câmara dos Deputados para alertar que a resolução do Governo Temer em vetar obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) poderá incluir também a construção da ponte sobre o Rio Madeira, atingindo em cheio o Acre. Como se está ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook