Não surpreendeu – Jornal A Gazeta

Não surpreendeu

Compreende-se a indignação e revolta de grande parte da sociedade brasileira com o resultado da votação do Supremo Tribunal Federal (STF), que indeferiu o habeas corpus impetrado pelo ex-presidente Lula, mas a rigor, não surpreendeu.
Omisso e conivente com o golpe parlamentar que começou com o impeachment da presidente Dilma Roussef, era preciso que o golpe fosse consumado com a odiosa perseguição, condenação e, provavelmente, prisão do ex-presidente que vem liderando todas as pesquisas de opinião pública referentes às próximas eleições para presidente da República.
E, vergonhosamente, esses seis ministros se prestaram a esse papel, com argumentos ridículos e esfarrapados como se assistiu, sem ao menos reconhecer que o processo em questão não resiste a um exame mais superficial à luz da Constituição, do Código Penal e da própria dignidade humana.
Em seu arrazoado, um desses ministros chegou a comparar o ex-presidente a perigosos assassinos, a estupradores e pedófilos que precisam ser presos depois de serem condenados em segunda instância. Enquanto outros, sistematicamente, engavetam ou absolvem políticos, esses sim comprovadamente corruptos com suas malas de dinheiro.
O que fazer? A sociedade civil organizada, as forças progressistas e, de modo particular, os partidos que apoiam o ex-presidente precisam reagir, organizar-se para dar a devida resposta nas urnas.

Assuntos desta notícia