O absurdo preço do combustível no Acre

Postado em 30/10/2015 19:04:47

Um estudo divulgado pelo site  UOL Economia revela que,  após aumento da gasolina no início do mês de outubro, a gasolina mais barata é vendida nos estados da Paraíba, Maranhão e São Paulo (entre R$ 3,266 e R$ 3,278). Enquanto que a mais cara é paga pelos moradores do Acre (R$ 3,932), do Amazonas (R$ 3,809) e de Rondônia (R$ 3,726).

Mas, isso foi no inicio do mês. Depois disso, outro aumento chegou às bombas dos postos de gasolina acreanos. Em entrevista coletiva, no dia 27, o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Acre (Sindepac), Delano Lima atribuiu esse novo aumento a três fatores: cobrança do ICMS com base nos últimos reajustes, a entressafra da cana-de-açúcar e a alta do dólar. E revelou preocupação porque  “O preço alto fez com que diminuísse a aquisição nos postos e setor já começa e demitir”.

Diante dessa situação o senador Jorge Viana apresentou na tribuna do Senado, nesta quinta-feira (29), um requerimento pedindo explicações ao Ministério de Minas e Energia sobre esses constantes aumentos do preço do combustível no Acre. Já que em apenas 20 dias o valor cobrado ao consumidor nos postos de combustível do Estado sofreu, pelo menos, dois reajustes e a gasolina já atinge a marca de R$ 4,50 em cidades como Cruzeiro do Sul.

O requerimento é direcionado à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que faz o controle deste serviço no país. “As pessoas estão cobrando explicações do porquê desse abuso por parte dos que comercializam combustíveis no Acre, aumentando injustificadamente o preço do produto final. E eu faço a pergunta no meu requerimento: o que justifica as recentes elevações abusivas, especialmente da gasolina, no Estado do Acre?”, questiona o parlamentar.

Jorge Viana também pediu no mesmo requerimento informações sobre a variação, em termos percentuais e nominais, do preço da gasolina nos demais estados brasileiros. Segundo ele, a ANP produz esse relatório semanalmente e isso pode servir de base para sabermos se os reajustes foram abusivos.

“No período de janeiro a outubro desse ano a variação de preços de combustível no Estado do Acre foi maior que a observada no âmbito nacional. Eu pergunto por quê? E, por fim, questiono também quais são os itens de custo e seus respectivos valores na formação do preço da gasolina comercializada no Brasil e também no meu estado? Normalmente jogam a culpa no ICMS, mas este é um imposto cobrado em todos os estados da Federação”, complementou.

Como integrante da Comissão de Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor do Senado Federal, o senador disse que o cidadão acreano não pode ficar refém de concessões públicas com serviços caros e de baixa qualidade. Da tribuna, ele falou sobre sua luta pela redução no preço das passagens, pelo fim dos apagões e também por um serviço melhor de telefonia e internet no Estado.

“Não queremos estes títulos de passagem aérea mais cara, de combustível mais caro, de serviço de telefonia mais caro e ruim, de preço de energia mais caro. Vou fazer do meu mandato um instrumento em defesa do contribuinte e do cidadão que deve ter um serviço de qualidade a um preço justo”, defendeu o parlamentar.

Apagões
Jorge Viana aproveitou para anunciar que no próximo dia 5 de novembro vai promover, numa parceria com a Assembleia Legislativa do Acre e o Governo do Estado, uma audiência pública para debater a questão dos apagões nos estados do Acre e Rondônia. A audiência terá a presença de representantes do Ministério de Minas e Energia, da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e da Eletrobrás. A proposta é levar à sociedade, e seus representantes, explicações sobre as constantes interrupções de energia elétrica nos dois estados nos últimos meses, sobre quais medidas tomadas para prevenir essas ocorrências e a quem a população pode recorrer no caso de prejuízos.

Obras na BR-317
O senador também informou da tribuna que está cobrando do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) a aceleração das obras de recuperação da BR-364 no trecho de Sena Madureira a Cruzeiro do Sul. “Vou entrar com um requerimento na próxima semana para que não retirem os equipamentos que estão executando o serviço e que o trabalho seja ampliado para que a população do Acre possa fazer uso dessa BR, que não aguenta dois invernos seguidos sem que estejam presentes as equipes de recuperação – seja por causa do tipo de solo, do regime de chuvas e da situação de uso da própria BR”.

Ele também cobrou o início imediato do trabalho de recuperação da BR-317 entre Xapuri e Brasileia e entre Brasileia e Assis Brasil. “É um esforço do governador Tião Viana, de toda a bancada, e o DNIT precisa manter o serviço num ritmo que garanta o ir e vir do povo acreano”.

* Marcos Vinicius Neves

editorial

Uma boa medida

 

Como este jornal mostrou na edição de domingo, pelo menos, aqui, no Estado, as autoridades de segurança estão tomando medidas para evitar as chacinas que vêm se sucedendo em diversos estados com as disputas entre as famigeradas facções e, ao mesmo tempo, prevenindo e combatendo a criminalidade aqui fora com ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook