Pais, estamos perdendo os nossos filhos para os quartos

Postado em 19/04/2017 23:11:57 Claudia Correia

Olá, tudo bem?

Como vai você?

Pais, quanto tempo faz que vocês não escutam mais as vozes dos seus filhos? Quanto tempo faz que vocês não param para ouvirem o que eles pensam, aquilo que suas mentes jovens ou infantis estão fantasiando? Vocês sabem o que seus filhos querem fazer ao concluírem a escola? E o que eles estão vivendo dentro da escola, como têm interagido com outras crianças ou outros jovens? Eles brincam, riem, pulam, dançam se soltam em um mundo que deveria ser divertido?Ou vocês preferem que suas crianças estejam dentro do quarto, ali em seu cantinho, pois somente assim estarão seguras? Mas me digam uma coisa: Existe realmente segurança em um mundo virtual, oferecido pela internet?

Lembro-me quando criança, ouvir a voz de minha mãe entrando em meu quarto, abrindo as cortinas da janela, para a luz do sol entrar e me acordando cantando assim:

“Acorda Maria bonita, acorda vem tomar café, o dia já vem raiando e a Claudinha tem que está de pé.”

Interessante que anos mais tarde, eu pude reproduzir essa canção adaptada por ela, prazerosamente com as minhas duas filhas. Que delícia! Quanto prazer! Como aquela simples canção nos aproximava, e quantas risadas gostosas e alegria vinham daqueles jovens rostinhos, eu estava ali com minha mãe, e mais tarde, minhas filhas estavam ali, comigo interagindo afetuosamente. Quanto carinho, amor, cuidado e zelo.

Eu já me perdi de minha mãe, e minhas filhas já se perderam de mim, sabe aonde? Nos quintais de nossa casa, nos mares, nos rios, dentro dos matos e em igrejas antigas, abandonadas devido enchentes vividas. Nossa! Como fantasiávamos, fazíamos de conta, falávamos tantas coisas. Mas eu e meus coleguinhas nos sentíamos seguros, pois sabíamos que nossas mães estavam por perto.

Infelizmente, a situação hoje tem se tornado crítica, preocupante, pois estamos perdendo nossos filhos dentro de casa, ou melhor dizendo, para os quartos.
Para nossa comodidade, afinal, trabalhamos e trabalhamos, é preferível neste mundo que se chama de Pós-Modernidade, equipar os quartos dos nossos filhos com TV, internet, damos a eles um mundo virtual para que eles desbravem tudo que desejarem, assim, não seremos incomodados, afinal, estamos cansados e nem tão pouco incomodamos o mundo deles.

Estamos ilhados! Cada um em seu próprio espaço, sem diálogos, sem trocas de afeto, de carinho. O individualismo está presente e reinando dentro de nossas casas. Cada um em seu quadrado, com fones de ouvidos, trancados em seu quarto, em seu mundo, sem ter ideia do que os filhos estão pensando, fazendo, ou com quem estão conversando ou se relacionando. E nem imaginamos que as mentes deles podem estar sendo manipuladas, usadas e condicionadas, não sabemos nem sequer quais os saberes que estão sendo construídos e nem quais são eles, afinal, nós pais não sabemos mais de nada sobre nossos filhos, sobre o que pensam sobre a vida, o que é para eles importante, e quem realmente sãos amigos deles.

O que estamos fazendo com os nossos filhos, Pais?

Pais, nossos filhos estão perdendo a vida! Eles podem estar vivos em seus corpos, porém mortos em seus relacionamentos conosco os seus pais, ou realmente tirando a própria vida, através do suicídio e de jogos mortais. Eles estão fechados e estimulados emum mundo cheio de modismos, encantados com celebridades passageiras e doentias que contribuem apenas para tornarem nossas crianças inseguras, vulneráveis e com imensa dificuldade de tomar atitudes corretas moralmente, segundo os princípios e valores familiares.

Mas que princípios ou valores familiares, se nós os pais não temos mais tempo de transmitir ou ensina-los?

Pais, acordem, hajam!Nós estamos perdendo os nossos filhos para os quartos! Esta é a nova geração: de filhos nos quartos! Seus filhos não sabem mais quem eles são, nem o que seus pais pensam. Como é triste! Os valores familiares estão perdendo espaço para valores externos e globais. E o que nós pais estamos fazendo? Até quando cruzaremos os braços? Permitiremos realmente que a família perca a identidade familiar? Até quando permitirá que a tecnologia seja a babá de seus filhos? Até quando permitirá que seus filhos sejam ocupados com jogos virtuais e mortais? É assim, que seus filhos estão seguros? É assim que o faz se sentirem bons pais?

Como terapeuta, tenho vistos inúmeras famílias doentes e filhos adoecidos emocionalmente. Tenho visto crianças, jovens deprimidos e ansiosos e se auto-mutilando. Tenho visto filhos abandonados em suas próprias casas e trancados em seus próprios quartos, evitando inclusive conversar, recorrer aos pais em busca de ajuda. Tenho visto crianças e jovens se sentindo pouco amados e comprados através de recompensas materiais.

Pais, os nossos filhos não estão precisando de quartos equipados tecnologicamente, ele estão precisando de nós, os seus Pais!
Um grande abraço!

Fica com Deus!

Claudia Correia
Terapeuta de adolescentes, adultos, casais e famílias. Escritora e Apresentadora do Programa Como Vai Você? Pelo SBT- sábado, às 11h da manhã.
Fanpege: Programa Como Vai Você?
(069)98114-1719

editorial

Um bom debate

 

Apresentando o bom trabalho que seu Governo vem desenvolvendo na geração de emprego e renda com as cadeias produtivas de produtos regionais e alguns programas sociais como o Quero Ler, o governador Tião Viana chamou a atenção dos participantes do encontro “Amazônia Sustentável”, promovido pelo Tribunal de Contas da União, ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook