Pequena mentirinha – Jornal A Gazeta

Pequena mentirinha

Nessa semana um situação em especial me fez lembrar a história de Pinóquio. Para tornar real o seu sonho de ser um menino de verdade, o boneco de madeira, ao ganhar vida, envolveu-se em diversas situações perigosas. Embora ele soubesse que deveria praticar boas obras, isso não o isentou de agir deslealmente.

Pinóquio percebeu que uma simples mentirinha poderia ajudar a conquistar seus objetivos. Sem pensar duas vezes e ele saiu pelo mundo mentindo e enganando quem cruzasse seu caminho.

Já perdi a conta de quantos ‘pinóquios’ esbarrei na minha vida. São muitas as pessoas que com seus narizes, tentam furar os olhos dos outros. Estão por aí, aprontando, jurando inocência e depois culpando o colega. Mas, como a mentira tem pernas curtas e os mentirosos ficam com narizes que não conseguem esconder, acabam sendo descobertos e engolidos pela baleia.

Alguns nem se constrangem e optam por continuarem sendo pinóquios. A vida tá boa desse jeito para uma boa parcela da nossa sociedade.

Infelizmente, a competitividade que cerca a vida do ser humano o faz pensar que às vezes a mentira é indispensável. Vivemos um tempo em que cada vez mais a sociedade usa de engano para tirar proveito de alguma circunstância, seja na área profissional, familiar ou sentimental.

Até parece que se não mentir, não se chegará a lugar nenhum. A mentira se tornou a chave do sucesso. Tornou-se essencial na vida do ser humano.

Desculpe-me a sinceridade, mas, achar que uma pequena mentira não é ofensiva, é burrice. Sem falar no círculo vicioso que ela te envolve. Para manter uma mentira de pé, normalmente, se faz necessário inventar uma série de outras coisas e, esse círculo vicioso nunca acaba.

A pessoa que tem tendência a sempre fazer o errado, quando percebe que aquela ‘simples’ mentinha deu certo, mentirá sempre.

O que vale mais para você: ter o seu ideal alcançado através de enganações ou é melhor ter sua integridade moral intacta? O ideal é ser conhecido como verdadeiro ou mentiroso? Ninguém confia no Pinóquio e nem o quer por perto.

A Bíblia revela que a pessoa que diz mentiras produz injustiça. Com suas palavras bajuladoras causa desgraças, prejudica os pequenos, conduz as pessoas ao erro.

A palavra de Deus descreve também o fim daqueles que mentem. Eles serão expulsos da presença de Deus, ficando de fora dos céus para todo o sempre.

Acreditando ou não em Deus, o fato é que não vale a pena alcançar os objetivos trapaceando, mentindo e, muito menos passando por cima das pessoas. Não se esqueça da lei da semeadura, só se colhe o que se planta. Quem planta mentira, colhe mentira.

Assuntos desta notícia