Política Local 06/01/2017

Postado em 05/01/2017 23:15:48

“A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota”.

(Jean-Paul Sartre)

Já começou
Quem foi para o Vale do Acre se surpreendeu com a envergadura da operação na BR-317. Policiais federais, civis, militares e o Exército revistando tudo.

Vai intensificar
O comando da Segurança Pública juntamente com outras instituições vai intensificar o combate ao tráfico de drogas e armas no Acre.

Rotas existentes
Estradas, varadouros, ramais, rios, igarapés e rodo-vias serão fiscalizadas diariamente. Começou na região de Xapuri e vai se estender por todo o Estado.

Brincalhão
O presidente Michel Temer (PMDB) deveria ter continuado calado. Dizer que a chacina no presídio de Manaus foi um “acidente pavoroso” é querer zombar da inteligência dos brasileiros.

Quem é o acidente?
Depois da declaração do presidente Temer choveram críticas nas redes sociais. Uma internauta de São Paulo plugou na net: “acidente é o senhor, presidente”.

Não é solução
Dizer que “não tinha santo entre os que morreram na chacina de Manaus”, como fez o governador do Amazonas em nada contribui para resolver o problema da violência.

Tinha razão
A jornalista Eliane Cantanhede tinha razão quando disse que o PCC não irá deixar por menos o que a facção Família do Norte (FDN) fez esfolando vivos 28 de seus integrantes. Em nota divulgada dizem que a rea-ção virá a seu tempo.

A PM evitou
É importante lembrar que a Polícia Militar do Acre evitou tragédia semelhante à de Manaus. Quem não lembra a tentativa de invasão do semiaberto há cerca de dois meses por criminosos fortemente armados?

A solução é política
Enquanto a situação política no Brasil não se resolver a tendência é o aumento da criminalidade. É necessário um presidente e um Congresso legitimado pelas urnas.

Boa impressão
O prefeito de Plácido de Castro, Gedeon Barros (PSDB), tem causado boa impressão já nos primeiros dias de sua gestão. Não quer inventar a roda. Está certo ele.

Não tem fórmula
Gedeon Barros que em tempos de crise a contenção de gastos e a aplicação correta dos recursos causa boa impressão a população. É o que está fazendo.

Bombou o governo
O anúncio feito pelo governador Tião Viana (PT) de que em 2017 o governo vai contratar mais policiais e professores causou boa impressão.

Pautou a rede
A contratação de mais poli-ciais, por exemplo, pautou as redes sociais ontem. Enquanto em outros estados demissões assustam a população, o Acre não atrasou salários e ainda por cima vai contratar.

A prefeitura também
O prefeito Marcus Alexandre (PT) também deverá anunciar a contratação de provisórios para a prefeitura. Em tempos bicudos como esses é uma excelente notícia.

Atrás de cargos
Consta que os prefeitos de oposição estão fazendo um bloco para impedir que Marcus Alexandre assuma a presidência da Associação dos Prefeitos do Acre. Deve ser registrada a primeira m* do ano.

Trincheira da politicagem
Se a Associação dos Prefeitos for partidarizada perde o sentido de existir. Foi criada para que todos os prefeitos fosse auxiliados em suas gestões.

Era do PSDB
Quem assumiu a direção da Amac no afastamento do prefeito Marcus Alexandre para ser candidato, foi o prefeito tucano de Porto Acre, Carlinhos da Saúde (PSDB). Sem brigas e sem partidarismos.

Fecha as portas
Político experiente disse que, se a prefeitura de Rio Branco retirar os recursos que investe na Amac, o órgão fecha as portas. “O Marcus nem precisa disso”, comentou.

É troco
Comparadas as despesas dos deputados federais frente a algumas Assembleias Legislativas do Brasil, o custo dos mandados é troco. É só averiguar.

Com urgência
Não é só a BR-364 que precisa de cuidados urgentes. A BR-317 entre Rio Branco e a divisa com o Peru. O trecho entre Brasileia e Assis Brasil, por exemplo, está ficando crítico.

Cobrou providências
A deputada Leila Galvão (PT) ligou ontem para o diretor do Denit, Thiago Caetano, cobrando providências. Thiago respondeu que na 3ª semana de janeiro reinicia as obras, principalmente para Assis Brasil.

editorial

Sem mais condições

 

Um dos primeiros atos ontem do presidente Michel Temer foi a revogação do decreto que assinou na quarta-feira, convocando as Forças Armadas, sob o pretexto de manter a ordem pública, depois dos intensos protestos das centrais sindicais e de outras categorias contra as reformas da Previdência e das leis trabalhistas ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook