Política Local 07/04/2017 – Jornal A Gazeta

Política Local 07/04/2017

“Fiquei perplexo com o rosto de nossa bancada federal rindo após o anúncio do corte”.

(Vice-presidente da Aleac, deputado Eber Machado, ao falar sobre o corte de R$ 100 milhões em emendas impositivas, destinadas pela bancada do Acre)

Não vai ter golpe
O senador Renan Calheiros (PMDB/AL) avalia que o juiz Sergio Moro não conseguirá mais impedir a candidatura do ex-presidente Lula em 2018. Renan concluiu que já não há mais tempo para que a Lava Jato impeça a candidatura do petista.

Compartilhando a opinião
Outros peemedebistas compartilham da avaliação de Renan. Entre eles o senador paraense Jader Barbalho e a ex-governadora maranhense Roseana Sarney.

Em guerra
O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), ao que parece, declarou mesmo guerra ao ex-presidente Lula. Recentemente, disse que irá ‘usar todas as suas forças para combater a volta do petista à Presidência nas eleições de 2018’.

Tem sim
Dória afirma que suas críticas ao ex-presidente, a quem costuma chamar de ‘cara-de-pau’, não têm pretensão eleitoral. Isso só o tempo dirá.

Deboche
O deputado Eber Machado (PSDC) criticou o Governo Federal pelo corte no orçamento da União. Ele pontua que sem um olhar diferente, o Estado será obrigado a desmatar.

Pegou mal
As críticas se estenderam também a bancada federal. Para Machado, não pegou nada bem os deputados federais aparecem sorrindo nas fotos, após receberem a notícia de que o dinheiro para as áreas de Segurança e recuperação de ramais não seria enviado conforme previsto.

Novo debate
Eber propõe a realização de uma audiência pública para novamente debater sobre o Código Florestal. Acho válido. Como bem afirmou Eber, não se pensou na região Amazônia, apenas nos estados industrializados, portanto, não podemos pagar o preço da preservação de 87% de nossas florestas, sem atenção do Governo Federal.

Colapso na economia
O deputado Lourival Marques (PT) cobrou da base aliada ao governo Temer uma forma de evitar o corte nos repasses federais. Eles terão agora a oportunidade de usarem sua influência junto ao seu aliado para conseguir liberar esses recursos.

Impositivas
Falando em Lourival, o parlamentar disse que é favorável à aprovação do projeto de lei que tornar impositiva as emendas do parlamento estadual.

Quem perde?
Correto seria que emendas fossem impositivas mesmo. Há anos que muitos deputados destinam suas emendas e nunca conseguem liberá-las. Quem sai perdendo são os órgãos ao qual são destinadas. Nunca veem a cor do dinheiro, e os projetos acabam no esquecimento.

Multas pesadas
O deputado Gehlen Diniz (PP) denunciou que os estudantes brasileiros que cursam faculdades na Bolívia estariam sendo multados por não terem direito de dormir em solo brasileiro.

País sem lei
Segundo Gehlen, uma representante boliviana chegou, inclusive, a desdenhar do Brasil. Disse que se o Brasil não tem leis, o problema é nosso. Eles possuem e devem ser cumpridas. Mas, no final das contas, a culpa é nossa. Tornamo-nos coniventes quando passamos por situações como essa, e não fazemos nada.

E aí?
O presidente da Câmara de Vereadores da capital, Manuel Marcos (PRB), durante entrevista, foi questionado sobre a possibilidade de a Câmara intervir na oferta do transporte público na capital.

Concorrência
Para o vereador, o ideal seria que se abrisse concorrência para outras empresas atuarem em Rio Branco. Talvez no campo dos sonhos. Na prática, difícil acontecer.

Apoio
Diferente do que muitos andam falando, não houve um racha entre o deputado Daniel Zen (PT) e o militante petista Cesário Braga. A indicação ao nome de Zen contou também com o apoio de Cesário, depois de muita conversa claro.

Todos ganham
Daniel Zen é, sem sombra de dúvidas, um dos quadros mais preparados do PT para assumir o comando da sigla. Portanto, todos tendem a ganhar com a sua escolha.

Assuntos desta notícia