Política Local 12/01/2017

Postado em 11/01/2017 23:10:36

“A tolerância é a melhor das religiões”.

( Victor Hugo)

A reprise
A Justiça Federal acaba de inocentar todos os envolvidos na famigerada Operação G-7, mas, ao que parece, ninguém aprende. A acusação de que a Sesacre desviou recursos do Samu é completamente falsa.

Bem didática
A nota emitida pela Secretaria de Saúde é esclarecedora. Não houve desvio de finalidade, muito menos de recursos. O Ministério da Saúde acaba de reconhecer serviços essenciais à vida humana como aero médicos de urgência e emergência.

Não é Brasília
O Serviço do Samu em Brasília é completamente diferente do praticado em um Estado Amazônico com o Acre. Só avião e helicópteros para atender emergências, por exemplo, no Vale do Juruá.

C’est la vie
No plano político, o então líder do governo, ex-deputado Astério Moreira, comeu o pão que o diabo amassou para fazer a defesa dos envolvidos na Operação G-7. Hoje todos foram inocentados.

Dando prosseguimento
A governadora em exercício, Nazareth Araújo (PT), vem dando prosseguimento às ações de Segurança pactuadas pelo governador Tião Viana (PT). Há dois dias discute-se medidas concretas para mudar o quadro de violência que assola o Estado.

Nessa pisada…
Em apenas 11 dias de 2017, 18 jovens supostamente do mundo das facções criminosas e do tráfico de drogas foram assassinados. A Secretaria de Segurança reconhece o alto grau de violência e anuncia medidas duras para mudar essa realidade.

Campanha aberta
Nas redes sociais, uma campanha aberta denuncia agora os desvios do Poder Judiciário. Pelo andar da carruagem, não vai ficar pedra sobre pedra até dezembro desse ano.

Outro perfil
O ex-deputado Márcio Bittar tem um perfil de oposição completamente diferente de seu principal adversário para o Senado, o deputado Major Rocha, ambos tucanos. Márcio não pode querer imitá-lo.

Outra linguagem
Bittar, por exemplo, era capaz de reconhecer os avanços da FPA. Apontava os erros e o que achava que tinha que mudar, diferente de Rocha, que atira para todos os lados.

Sem radicalizar
Gladson Cameli ganhou a eleição para o Senado sem radicalizar. Fazia um discurso conciliador, enquanto seus adversários o atacavam. Ainda hoje Gladson dá as estocadas no PT, mas alivia pedindo união entre todos em favor do Acre. O que vale na politica é o discurso, e não a prática.

Sem desculpas
A direção do Dnit, com apoio da bancada federal que apoia o presidente Michel Temer (PMDB), tem que parar de dar desculpas sobre as crateras da BR-364 e recuperar – ao menos – o trecho até o aeroporto de Rio Branco.

Vale a experiência
O prefeito de Assis Brasil, carinhosamente chamado de Zum (DEM), tem experiência de sobra. Já administrou a cidade. Deve aprender também com os erros dos antecessores, principalmente do doutor Betinho, afastado do cargo pela Justiça.

Na boca do povo
Não adianta algumas pessoas pedirem para não se falar no nome do prefeito Marcus Alexandre (PT) como provável candidato a governador em 2018. Como dizia o ex-deputado Ulisses Guimarães: “Ninguém cala a voz das ruas”.

Carnificina à vista
Ao que tudo indica, a disputa pela vaga do senador Sérgio Petecão em 2018 na oposição será uma verdadeira carnificina.

A era da intolerância
O que acontece na sociedade, na política e nos presídios em comum? A marca da intolerância. Vivemos um retrocesso com consequências imprevisíveis. Hilary, Dilma, Lula, Obama, Merkel, Maryl Streep sentem isso na pele. Muitos sentem.

Tem que segurar
Se há problemas de caixa na prefeitura de Cruzeiro do Sul, como já estão falando, o prefeito Ilderlei Cordeiro (PMDB) tem a missão e a obrigação de segurar a peteca.

Não compensa mais
Saquear uma prefeitura, um órgão publica não vale mais a pena. Tudo está mudando. Os crimes do colarinho branco estão sendo punidos. Só vê quem não quer. O prefeito de Xapuri, Marcinho Miranda (PSDB), que o diga.

Calendário
O governo já informou o calendário de pagamento dos servidores ativos e inativos até o final do ano. Será no último dia útil de cada mês. Todo mundo junto. Enquanto outros Estados não pagaram nem novembro ainda.

Acredite se quiser?
A maioria absoluta dos religiosos criticava o PT e a presidente Dilma por, segundo eles, defenderem o aborto, casamento homossexual e a tributação das igrejas. Pois bem, o PT está fora do poder em Brasília, a Dilma caiu e quem quer fazer tudo isso é o governo Michel Temer (PMDB) e o STF.

editorial

Sem mais condições

 

Um dos primeiros atos ontem do presidente Michel Temer foi a revogação do decreto que assinou na quarta-feira, convocando as Forças Armadas, sob o pretexto de manter a ordem pública, depois dos intensos protestos das centrais sindicais e de outras categorias contra as reformas da Previdência e das leis trabalhistas ...

Leia mais...

clima

Rio Branco - AC
agazetanofacebook