Política Nacional 06/01/2017 – Jornal A Gazeta

Política Nacional 06/01/2017

“Nós prendemos muito, mas prendemos mal”

Alexandre de Moraes (Justiça) entre as obviedades ditas sobre o massacre de Manaus

Rouanet: CPI cobra explicação de R$94 milhões
O presidente da CPI da Lei Rouanet, deputado Alberto Fraga (DEM-DF), determinou prazo de dez dias para que empresas que apoiaram projetos culturais do Grupo Bellini enviem todos os documentos dos patrocínios para a comissão. O grupo Bellini, alvo da Polícia Federal no âmbito da Operação Boca Livre, recebeu R$ 94,76 milhões de diversas empresas investigadas pela comissão parlamentar de inquérito.

Boca livre
A Boca Livre, cujo inquérito foi aberto em 2014, investiga fraudes do Grupo Bellini com recursos captados sob o amparo da Lei Rouanet.

País rico
Só a Scania Latin America repassou ao grupo R$ 13,38 milhões. Mas a CPI pede esclarecimento de mais de 30 patrocinadores.

Não aprovado
O requerimento pedindo os dados das empresas é do deputado Izalci (PSDB-DF), mas não foi aprovado pela comissão da Câmara.

Contra o regimento
O problema, segundo as empresas investigadas, é que o presidente da CPI não poderia fazer a solicitação sem aprovação do requerimento.

Contra Temer, PT apoiará candidato de Renan
Aliados desde a formação do governo Lula até o impeachment de Dilma, o PT concorda apoiar um nome escolhido por Renan Calheiros para disputar a presidência do Senado, em fevereiro. A ideia seria garantir que um senador peemedebista concorresse contra o atual líder da bancada, Eunício Oliveira (CE), o favorito para substituir Renan. A repetição da dobradinha Renan-PT não agrada toda a bancada petista.

Subterrâneo político
Renan Calheiros não apoia publicamente nome para substitui-lo. Nem o faria. Só vai declarar apoio quando tiver certeza de quem vai vencer.

PT rachado
Discute-se no PT até lançar um candidato próprio, apesar de haver divisão dentro da própria bancada de senadores.

Candidato para enfraquecer
Com um candidato na disputa, o PT tenta enfraquecer Eunício e aposta numa “terceira via” no Senado, que pode atrapalhar o governo Temer.

Culpados têm nome
Habituada a passar a mão na cabeça de bandido, a hipocrisia nacional aponta “a sociedade” ou “o sistema prisional falido” como culpados pelo “massacre” de Manaus. Mas os responsáveis têm nome e sobrenome: sete criminosos que decidiram cortar as cabeças de bandidos rivais.

Falta interesse
O vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta (PMDB), defende uma reforma política. No entanto, segundo ele, ninguém no meio político está interessado na reforma. “Não sabemos onde vamos parar”, diz.

Recordar é viver
Levantamento do Sindicato dos Auditores Fiscais revela defasagem de 83% na tabela do Imposto de Renda. Dilma vetou a correção de 6,5% em 2015, igual à inflação, e em 2016 a correção foi a metade do índice.

Até em Terra Santa tem ladrão
Condenado a 6 anos de prisão por desviar recursos públicos e foragido há mais de 30 dias, Carlinhos Bentes (PSDB), ex-prefeito de Terra Santa (PA), tentou obter habeas corpus, mas o ministro Joel Paciornik, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou.

Disputa na Funai
Carlos Marun (MS) tenta levar Paulo Rios Júnior, um ex-assessor, ao comando da Funai no Estado, mas o senador Pedro Chaves (PSC-MS) pede cautela na indicação, que cabe ao PSC e não ao PMDB de Marun

IPVA falso
Como as autoridades se mostram incapazes de impedir o crime, voltou com força o golpe do IPVA falso, principalmente em São Paulo. O falso boleto parece autêntico, mas quem o pagar perderá o dinheiro.

Ditadura da burocracia
Inventores da nossa torturante burocracia, os portugueses ainda impõem a turistas estrangeiros longas filas para carimbar passaporte, no aeroporto. Quem reclama, por temer perder o voo, é expulso da fila.

Nas alturas
Em outubro, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) pediu o reembolso de R$ 12.375,95 com passagens aéreas, mesmo morando em Brasília. Rosso voou seis vezes para São Paulo e duas para Belo Horizonte.

Responda rápido
Quantos dos cinco presídios federais anunciados serão construídos por empreiteiras enroladas em esquemas de corrupção?

PODER SEM PUDOR
Existe jantar grátis
O falecido deputado Maurício Fruet (PR) era mesmo um gozador. Nomeado prefeito de Curitiba em 1983, ele cedeu a vaga na Câmara ao suplente Dílson Vanchin, marinheiro de primeira viagem. Fruet aplicou-lhe uma “peça”, dizendo que era praxe vender tudo o que havia no gabinete. Vanchin nem desconfiou dos valores irrisórios que pagou. Contou a amigos:
– Dizem que o Fruet é esperto. Que nada! Fiz o melhor negócio da vida!
Convidado para um jantar com a bancada, na despedida de Fruet, Vanchin soube então que o dinheiro era para pagar a conta do restaurante…

Com André Brito, Gabriel Garcia e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Assuntos desta notícia