Política Nacional 30/06/2017 – Jornal A Gazeta

Política Nacional 30/06/2017

“Não tenho vocação para Legislativo”

João Doria, prefeito de São Paulo, ao afirmar que “jamais serei deputado ou senador”

Planalto apressa tramitação para ‘matar’ denúncia
O Planalto confirmou a estratégia de apressar na Câmara a tramitação da denúncia da Procuradoria Geral da República, a fim de “matar” o assunto o quanto antes. A denúncia chegou na Câmara pela manhã, à tarde já era votada e o presidente Michel Temer notificado. Ele planeja apresentar sua defesa muito antes do prazo de dez sessões plenárias. A estratégia do governo foi antecipada terça-feira (27) nesta coluna.

Ruim para todos
Apressar a tramitação da denúncia é decisão do próprio Temer. Para ele, prolongar seria ruim para o País, o governo e para sua família.

#tamojunto
Ao receber a denúncia e ordenar sua leitura imediata no plenário, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, mostrou sua lealdade a Temer.

Quanto mais cedo…
A tramitação vapt-vupt fortalece a chance da base de apoio ao governo Temer de rejeitar a denúncia de Rodrigo Janot.

Na batalha
“Animal político por excelência”, na definição de um ministro, Michel Temer dedica agora cada minuto do dia a articular sua sobrevivência.

Fundo partidário vai pagar R$ 1,2 bilhão em 2017
Com pagamentos a partidos políticos de quase R$48 milhões apenas no mês de junho, o Fundo Partidário atingiu a marca de R$609 milhões nessa farra até 28 de junho. A expectativa é que o total distribuído aos partidos, em 2017, supere R$1,2 bilhão até o fim deste ano. Será o maior valor da História subtraído do bolso do contribuinte para entregar a partidos políticos durante um ano em que nem sequer haverá eleição.

Primeiro
O PT de Lula e Dilma, mesmo em desgraça, foi o partido que mais recebeu verbas do Fundo Partidário em 2017: R$ 42,07 milhões.

Segundo
O PSDB de Aécio Neves e Geraldo Alckmin recebeu R$ 34,7 milhões do Fundo Partidário. Quem vive de alugar jatinhos ficou feliz.

Terceiro
O PMDB levou R$ 33,8 milhões até junho. Na lanterninha o Podemos, ex-PTN, nos tomou R$515 mil e o Solidariedade R$452 mil.

Morrinhos é o lugar
Futura Procuradora Geral da República, Raquel Dodge nasceu em Morrinhos (GO), assim como outras mulheres vitoriosas, como a atriz global Carolina Ferraz e a jornalista Cristiana Lôbo, da Globonews.

Caça às bruxas
Jantares como o de Temer com Gilmar Mendes são comuns em Brasília. Lula fazia isso diariamente, inclusive com ministros de tribunais, e ninguém estranhava. Com Gilmar, Lula jantou várias vezes.

Cargos, sempre eles
Renan Calheiros se diz avesso a cargos, mas não devolve os 15 que ocupa no governo Temer. Além dos 69 que acumulava como senador (22 no escritório de Alagoas), até perder os 23 da Liderança do PMDB.

Jackson no Podemos
A direção do Podemos, nova denominação do PTN, sonha com a filiação do governador de Sergipe, Jackson Barreto, na convenção deste sábado, em Brasília. O governador é do PMDB “histórico”.

Nove vezes
O grupo J&F/JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, responde a nove inquéritos na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão que regula o mercado. Cada um pode render multas de até R$ 500 milhões.

Limitando direitos
Fernando Bezerra (PSB-PE) deve ter bronca de consumidores. Projeto do senador reduz de 10 para 5 dias o prazo para troca de mercadorias defeituosas, e ainda limita esse direito a apenas alguns segmentos.

Doria em campanha
João Doria atraiu muita gente ao almoço em Brasília que o amigo Paulo Octavio organizou. Repetiu a lorota de que é apenas candidato a ser bom prefeito, mas sua campanha presidencial já está na rua.

Deputados com Temer
A revista inglesa Economist, que adora opinar sobre o Brasil, concebeu um palpite criativo: os deputados devem livrar Temer de processo para que a Lava Jato e a crise não avancem, atrapalhando-lhes a reeleição.

Pensando bem…
…o STF levou duas semanas para decidir que tudo fica como estava e que acordo de delação legal é legal, e acordos ilegais serão ilegais.

PODER SEM PUDOR
Era uma vez Pió
Campina Grande (PB) também vivia sob a lei marcial da Revolução de 1932 quando, certa madrugada, o vereador Zé Pió retornava de uma farra em pleno blecaute, e foi interceptado por um sentinela: “Alto lá!” Zé Pió não percebeu que a advertência era para a ele e continuou a andar, tateando a escuridão. O milico engatilhou o fuzil: “Quem vem lá? Fale ou leva fogo!”
– É Pió! Não atira que é Pió! – gritou o vereador.
Pior para ele. O soldado achou que era provocação e mandou bala.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos
www.diariodopoder.com.br

Assuntos desta notícia