Qualidade de vida – Jornal A Gazeta

Qualidade de vida

Qual o melhor programa de domingo? Ficar em casa, assistindo Netflix com o ar-condicionado marcando 15°C? O meu último domingo eu fiz algo diferente. Sai de casa no fim da tarde e fui para uma praça localizada no Segundo Distrito de Rio Branco.

Das coisas que percebi. Seja na areia ou no cimento, as quadras eram palco de disputas. O motivo da disputa sempre acontecia por meio de uma bola. Usada com os pés ou as mãos. Em alguns casos, havia contato entre os brincantes. Mas, independentemente da modalidade, a torcida vibrava com fervor.

Eram pessoas de todas as idades, vindos de todos locais possíveis. Enquanto uns praticam esporte. Crianças brincam, andam de bicicleta. Enquanto isso, idosos fazem atividade física. Mães passeiam com filhos pequenos, os vizinhos colocam as cadeiras na calçada para bater papo.

Por um breve momento, vi como aquela comunidade tem qualidade de vida.A noite foi chegando, o movimento na praça não diminuía.E eu continuava refletindo sobre a forma de se divertir daquelas pessoas.

Afina, não é segredo para ninguém que Rio Branco não tem muitas opções de lazer. Ou você sai para comer ou beber. Então, o oferecimento de espaços como esses para a comunidade é fundamental.

Já passava das 19h e as famílias não iam embora. A iluminação dava condições para a prática das modalidades esportivas.

Equipes femininas e masculinas se misturavam em busca da bola e do ponto decisivo.

Alguns tomando tereré outros no narguilé. Não importa. O clima de paz reinou e todo e qualquer estresse da semana foi exorcizado na quadra.

Feliz da comunidade que tem à disposição esse tipo de opção. Seria bom, né que em todos os bairros tivessem esses espaços. Talvez muitos jovens teriam opções mais saudáveis e do bem. Longe das drogas e da violência.

Ah, doce realidade!

BRUNA LOPES é jornalista
jornalistabrunalopes@gmail.com

Assuntos desta notícia