Recepção aos calouros começa no campus-sede da Ufac – Jornal A Gazeta

Recepção aos calouros começa no campus-sede da Ufac

A Universidade Federal do Acre (Ufac) deu início ao primeiro semestre letivo do ano com uma vasta programação de recepção aos calouros. Em Rio Branco, a abertura ocorreu nesta terça-feira, 10, no Teatro Universitário, que ficou lotado. Em Cruzeiro do Sul, ocorre nesta quarta-feira, 11.

A reitora Guida Aquino desejou sucesso aos estudantes. “Estou diante de uma plateia de vitoriosos. Este ano, a Ufac registrou a inscrição de quase 15 mil candidatos, através do Enem [Exame Nacional do Ensino Médio]”, disse. “Todos merecem os parabéns, mas os desafios não param por aqui. Há um longo caminho até a formação.  Não desistam; vivam a universidade e tudo o que ela proporciona.”

Guida convidou o professor Minoru Kinpara, ex-reitor, para saudar os novos estudantes. “Este momento é sempre um dos mais importantes para a universidade e o meu favorito enquanto fui reitor”, contou ele. “Sonhar é preciso; a partir de agora, os sonhos de cada um de vocês passam a ser os nossos também.”

Atividades como ginástica laboral e alongamento, mesas-redondas, palestras, plantio de mudas e caminhada de interação entre calouros, veteranos, docentes e técnico-administrativos integram a programação que acontece durante toda esta semana.

Entre os temas escolhidos para debate estão discriminação racial, de gênero e classe; saúde mental e doação de medula óssea. “Essas atividades substituem os trotes violentos, que são ilegais e vão contra os princípios e diretrizes da universidade”, afirmou o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Sérgio Siqueira. “Agora a Ufac se torna uma casa para esses novos estudantes e, como toda família, é nosso dever preparar um bom acolhimento.”

Calouros – Aos 47 anos, Alessandra Machado mostra que sempre é hora de realizar sonhos. Mãe de três filhos, ela foi caloura pela primeira vez há 25 anos. “Estava grávida da primeira filha e acabei sem conseguir terminar o curso, porque tinha que priorizar o trabalho”, contou. Com os filhos crescidos e trabalhando em um único período, ela viu a chance perfeita de retomar a graduação em História (licenciatura). “Estou pronta para ser caloura. Agora tenho tempo para mim e sinto que mereço isso.”

Como colega de classe, Alessandra terá o deficiente visual Célio Roberto França, que ocupa uma vaga no ensino superior pela primeira vez. “Aguardava ansioso pelo início das aulas. Eu sempre sonhei com o curso de Direito, mas agora, no início do mês, a programação do Dia Nacional do Braile contou com a presença de alunos do curso de História e fiquei encantado. Sinto que vou me apaixonar pelo curso”, animou-se.

Do curso de Engenharia Agronômica, Rafaela Campos aprovou a primeira atividade da programação. “Este é um novo momento. A Ufac é um mundo a ser descoberto”, opinou. “Achei muito legal essa iniciativa de promover a integração dos calouros com os veteranos e fazer debates sobre temas atuais.”

 

Assuntos desta notícia