Superintendente nega clonagem e alerta que os usuários não devem fornecer dados dos cartões nem mesmo por telefone – Jornal A Gazeta

Superintendente nega clonagem e alerta que os usuários não devem fornecer dados dos cartões nem mesmo por telefone

“Os clientes que tiveram os dados bancários utilizados de forma indevida, forneceram seus dados a estranhos por meio de um telefone que não era o oficial do banco”, esclareceu o superintendente do Banco do Brasil no Acre, Paulo Amaral, após um boato divulgado pelas redes sociais afirmar que cartões estavam sendo clonados em Rio Branco. Ele também ressaltou que não foi caso de clonagem, pois cartão com chip não há como clonar.

Até agora foram confirmados cinco vítimas, segundo o superintendente. O caso chegou ao conhecimento da polícia após denúncias, e investigações foram iniciadas. Paulo denominou como golpe a ação criminosa que acontecia da seguinte forma.

Os criminosos inseriram uma espécie de película no espaço onde o usuário coloca o cartão. Assim, o cartão ficava retido e, ao procurar outro caixa, o cliente era abordado por uma pessoa relatando ter sofrido o mesmo problema e oferecendo ajuda.

Esse suspeito afirmava que o caixa havia imprimido um documento com um número 0800, que era falso, e, ao ligar, recebia o pedido para digitar o número da conta, da agência e a senha do cliente. Com essas informações, os criminosos ficavam livres para acessar a conta do cliente e até fazer empréstimos.

“Inicialmente, o banco acreditava que os casos haviam ocorrido somente na agência da Avenida Ceará, mas, após a apuração, a suspeita é que o grupo tenha agido em outras agências. Por isso, afirma que o banco está apurando, com o uso de imagens de câmeras de segurança do próprio banco, como eles agiram, como instalaram a película e quem são os criminosos”, comentou Paulo Amaral.

Além desse golpe registrado nos caixas de autoatendimento em Rio Branco, o superintendente ressaltou que o banco não envia torpedos ou mensagens para os clientes. “Esse é outro tipo de tentativa de fraude. O cliente recebe essa mensagem no celular. É um o link fraudulento. A orientação é para não abrir o link e não repassar nenhuma informação”, comentou Paulo.

Orientação para os clientes

“Pedimos que as pessoas, caso isso aconteça, saiam imediatamente da agência, só liguem no número que estiver no cartão, ou nos próprios caixas. Além disso, não aceitem ajuda de estranhos, não passem dados por telefone, o BB nunca vai pedir para digitar a senha, jamais”, destacou Paulo.

Ratificamos que o BB não solicita nenhum tipo de atualização, validação ou recadastramento de dados, senhas ou aplicativos por telefone ou internet. Portanto Jamais passar dados pessoais, principalmente senhas, para qualquer canal que seja. Nunca aceitar ajuda de estranhos e jamais passar qualquer dado da conta, principalmente senha, para ninguém”, alerta

Assuntos desta notícia