Ter bons amigos é ter mais Saúde e felicidade – Jornal A Gazeta

Ter bons amigos é ter mais Saúde e felicidade

Ter amigos verdadeiros é um bem precioso na vida de qualquer pessoa. Amigos são pessoas que nos elegeram pelo coração, que gostam da gente com defeitos e virtudes, coisa que os familiares, maioria das vezes, não toleram e vivem a tecer críticas. Os familiares querem a pessoa perfeita, segundo a visão deles. Esquecem-se, maioria das veze, que cada ser humano possui defeitos e virtudes. Não existe um ser perfeito.

Para saber quem são nossos amigos, a pessoa deve fazer um flashback, tentar relembrar os momentos mais marcantes que já viveu ou em quais companhias se sente mais feliz. Lembrar com quem a pessoa estava nos momentos mais bonitos e, ainda, naqueles tristes. Certamente estarão na sua história os verdadeiros amigos. Escolhidos a dedo ou impostos pelo acaso, eles servem de combustível para enfrentarmos desafios do dia a dia, dividindo experiências boas e ruins.

Dizem os sábios ser a amizade uma das formas de aprimoramento do ser humano. A amizade rompe as fronteiras do preconceito e torna-se essencial, seja entre colegas, vizinhos, pais e filhos, irmãos, namorados ou marido e mulher. E o nosso corpo agradece. Ter amigos traz benefícios tanto para a saúde mental quanto física. Segundos estudiosos há muitas vantagens quando se cultiva um bom círculo social, em meio a verdadeiros amigos.

Risco menor de doenças – As boas amizades propiciam mais imunidade ao nosso corpo. Pesquisadores da Universidade de Chicago, nos EUA, identificaram que pessoas muito solitárias, ao longo da vida, tendem a ser mais indefesas, ter noites ruins de sono e sofrer mais com as complicações enfrentadas ao longo da vida, como o estresse. Outro estudo americano, publicado no Journal of the American Medical Association, apontou uma relação entre solidão e o risco maior de ter doença de Alzheimer.

Vida mais longa – A presença de bons amigos aumenta em 50% a chance de a pessoa viver mais. O dado vem de pesquisadores da Brigham Young University, nos EUA, que analisaram 148 estudos feitos durante sete anos e meio. Segundo eles, quem passa grande parte da sua vida sem interações sociais tem um prejuízo relacionado à longevidade que pode ser comparado a fumar cigarros todos os dias, ser alcóolatra ou ser obeso.

Mais otimismo no seu dia a dia – Ter amigos leais e confiáveis propicia uma felicidade contagiante. Essa afirmação resulta de um estudo da Universidade de Califórnia e de Harvard, nos EUA. Durante duas décadas, cinco mil pessoas foram analisadas. Como resultado, a probabilidade de sorrir mais para a vida cresceu em até 60% nos participantes que conviviam com pessoas alegres. É um efeito dominó: se você é otimista, a chance de seu amigo e até do amigo do seu amigo também ficarem felizes é muito maior.

Saúde para o coração – Está comprovado, cientificamente, que vínculos afetivos estimulam as emoções positivas. Essas emoções, por sua vez, influenciam nos batimentos cardíacos. Um estudo que durou dez anos, da Universidade Columbia, nos EUA, mostrou que pessoas normalmente felizes, entusiasmadas e satisfeitas têm menos chance de serem depressivas e apresentam um risco 22% menor de ter infarto ou desenvolver doenças cardíacas.

A melhor forma de dividir seus sentimentos – Ter amigos é uma necessidade natural de todo ser humano, pra poder compartilhar experiências e sensações. A cumplicidade explica a ligação que torna os amigos inseparáveis. A compreensão que existe nesse tipo de relacionamento é profunda e marcada por muitas descobertas em conjunto, diferente do que acontece no ambiente familiar onde as posições estão marcadas. Há aqueles “ditos” melhores do que outros.

Relações amorosas duradouras – A amizade verdadeira é uma espécie de cola, une pessoas, une marido e mulher por muitos anos. Não é tanto o amor que faz essa união duradoura, mas a amizade. Para o psicólogo John Gottman, da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, 70% da paixão, do romance e do sexo para os homens decorre da amizade, e a porcentagem é ainda maior para as mulheres.

Amadurecimento longe da depressão – Manter e ter bons amigos ajuda a amadurecer e isso serve principalmente para as crianças. De acordo com um estudo da Universidade do Maine, nos Estados Unidos, apenas um amigo de verdade já é suficiente para ajudar os pequenos a se desenvolverem psicologicamente e mandaram para longe a depressão, a baixa autoestima, a ansiedade e a depressão.

Físico em forma – Ter amigos nos livra de muitos problemas relacionados à depressão e ao tédio. Estudo da Universidade de Bristol, no Reino Unido, apontou que se seus melhores amigos praticam atividades físicas, as chances da pessoa também sair do sofá são grandes. Tudo por conta da capacidade de influência das amizades.

DICAS DE GRAMÁTICA
HAJA VISTA ou “HAJA VISTO, professora?
HAJA VISTA – É a única expressão correta, pois neste contexto a palavra “vista” é invariável. Mas o verbo “haver” admite concordância com o substantivo a que se refere.
– Ex 1: “Haja vista o ocorrido, não irei trabalhar”
– Ex 2: “Hajam vista os acontecimentos, não irei trabalhar”
Dica: como a expressão “Haja Visto” não existe, deve-se dar a preferência ao uso da forma invariável HAJA VISTA.

Luísa Galvão Lessa Karlberg, IWA – É Pós-Doutora em Lexicologia e Lexicografia pela Université de Montréal, Canadá; Doutora em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ; Membro da Academia Brasileira de Filologia; Presidente da Academia Acreana de Letras; Membro perene da IWA.

Assuntos desta notícia