Vereador Manuel Marcos faz avaliação do primeiro semestre legislativo na Câmara – Jornal A Gazeta

Vereador Manuel Marcos faz avaliação do primeiro semestre legislativo na Câmara

 Saúde, Educação, Segurança Pública, Produção Rural. Esses têm sido alguns dos temas debatidos pelo vereador Manuel Marcos (PRB) no plenário da Câmara de Rio Branco. Em conversa com a equipe do Jornal A GAZETA, o parlamentar falou sobre seu mandato e as expectativas para o segundo semestre legislativo.

Ao avaliar as atividades nesses primeiros seis meses de trabalho, Manuel Marcos diz que foi produtiva e que atendeu as expectativas do eleitorado. “A oposição tem parlamentares articulados. A base também tem vereadores bem preparados. O resultado disso são bons debates”.

O vereador destaca ainda que o principal foco de sua gestão tem sido trabalhar para o bem-estar da população. “A população acredita e confia que faremos o melhor para Rio Branco, portanto, minha expectativa é que possamos responder à altura”.

Sobre as eleições em 2018, Manuel Marcos confirma o convite do PRB para disputar uma das vagas à Câmara Federal. “Decidi encarar o desafio. Sei que não se trata de uma tarefa muito fácil, mas tenho disposição para caminhar e apresentar meu projeto ao povo do Acre”.

Confira a entrevista:

 

A GAZETA – A Câmara de Vereadores tem cumprido um papel importante no desenvolvimento do município. Qual avaliação o senhor faz das atividades no parlamento municipal nesse primeiro semestre legislativo?

Manuel Marcos – Positiva. Tivemos um semestre de muito trabalho para todos os vereadores. O resultado disso é que nos primeiros seis meses de atividades tivemos cerca de 5.400 indicações apresentadas na Casa e 42 projetos de lei. Temos o que comemorar, sem dúvidas. Como presidente do parlamento municipal e vereador, procuro estar respaldado na verdade e no compromisso com o povo. Dessa forma, opto todos os dias por fazer um mandato sensato e maduro. Acredito que esse é o verdadeiro papel do Parlamentar, cuidar para que o povo mais humilde, mais oprimido, tenha direito de voz.

A GAZETA – Essa nova legislatura tem sido bastante elogiada. Em muitos momentos, a Câmara teve mais destaque que a Aleac. Surpreso com o resultado?

Manuel Marcos – Temos vereadores muito qualificados, portanto, esse resultado não causa surpresa. Começamos o semestre com debates fortes. Ali já dava para perceber como seria o embate na Casa. Já na primeira semana de trabalhos tivemos a criação da CEI para investigar as empresas de transporte público. A oposição tem parlamentares articulados. A base também tem vereadores bem preparados. O resultado disso são bons debates.

A GAZETA – O que o senhor destacaria para o seu maior desafio à frente do comando da Câmara de Vereadores?

Manuel Marcos – O nosso maior desafio neste ano é dar início à construção da nossa sede. Não podemos viver eternamente pagando aluguel. Temos um terreno de 17mil metros quadrados. Meu objetivo é buscar o orçamento necessário para dar início a essa construção.

A GAZETA – Como o senhor tem feito para conciliar suas atividades como presidente da Câmara e como vereador?

Manuel Marcos – No início foi bastante difícil, mas, depois de alguns planejamentos, as coisas foram fluindo. Nesse início de mandato, eu me dediquei à parte administrativa da Câmara, o que acabou ocasionando meu afastamento do meio do povo. Mas, era necessário, pois, como presidente da Casa, precisava estar a par do funcionamento do Legislativo. Hoje, temos a agenda do presidente e, dessa forma, temos conseguido exercer de forma tranquila a função de presidente do parlamento municipal e a vereança.

A GAZETA – Qual avaliação o senhor faz do seu mandato nesses primeiros seis meses de atividades?

Manuel Marcos – Trabalhamos esse primeiro semestre focado mais nas indicações. Minha equipe de gabinete está sempre presente nos bairros verificando a necessidade da comunidade. Estou em torno de duas mil indicações. Espero que, ao final de meu mandato, possa deixar um legado para a população. Quero que se lembrem do vereador Manuel Marcos como um parlamentar atuante, responsável, comprometido com a cidade, que não se escondeu dos debates e que fez proposições relevantes para o desenvolvimento de Rio Branco.

A GAZETA – Confirmada sua candidatura para deputado federal nas eleições do próximo ano?

Manuel Marcos– Sempre costumo dizer que não estou na política por vocação. Estou na política por ser servo e obedecer à instituição religiosa da qual eu sirvo. Com a saída do deputado federal Alan Rick do PRB, nosso partido, juntamente com a Igreja Universal e o nosso grupo político, entendeu que o melhor para concorrer seria eu. Como soldado da instituição religiosa da qual sigo há 17 anos como pastor, decidi encarar o desafio. Sei que não se trata de uma tarefa muito fácil, mas tenho disposição para caminhar e apresentar meu projeto ao povo do Acre.

A GAZETA – Como o PRB tem se preparado para as eleições de 2018?

Manuel Marcos– Recentemente reassumi a presidência do PRB e, desde então, temos tentado reestruturar e fortalecer a sigla na Capital e no interior. Temos nos reunido e elaborado uma série de estratégias de crescimento. Temos nossas metas para 2018, sem dúvidas, mas o momento é destinado ao debate. Para este ano, o foco é buscar novas filiações, novas lideranças, ou seja, pessoas que desejam realmente construir uma nova história para o Acre.

A GAZETA – O que você espera para o próximo semestre legislativo?

Manuel Marcos – Foi um semestre de muito trabalho, sem dúvidas, mas fico feliz por isso. Significa que este mandato tem trabalhado em prol do nosso povo. Continuarei presente nos bairros, conversando com o povo e procurando saber quais suas necessidades. Tenho procurado fazer um mandato participativo em todo o Acre, com projetos e indicações. Tenho plena consciência do papel que preciso desempenhar. Isso me faz ter a certeza de que podemos nos tornar a mudança que queremos para nosso povo querido.

“Com a saída do deputado federal Alan Rick do PRB, nosso partido, juntamente com a Igreja Universal e o nosso grupo político, entendeu que o melhor para concorrer seria eu”

Assuntos desta notícia