Política local 25/11/2009

“É infantilidade pensar que a derrota em Feijó significa o fim da FPA”.
 
Deputado Delorgem Campos (PSB).

Prioridades máximas
O prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales (PMDB), revelou ontem à coluna que vai atuar daqui em diante em três frentes políticas prioritárias: retirar o PMDB da aliança da FPA em Sena Madureira, trabalhar pela coligação PMDB-PSDB, e o lançamento de candidaturas únicas para o Governo e Senado, como forma de tornar a oposição competitiva na próxima eleição.

Erro estratégico
Wagner Sales considera um erro estratégico da oposição ter duas candidaturas ao Governo e várias ao Senado.

Disputa do Senado
Para a disputa do Senado, Wagner Sales (PMDB) diz que vai defender as candidaturas de Rodrigo Pinto (PMDB) ao Governo e de Márcio Bittar (PSDB) para o Senado, com todos os partidos se unindo em torno desse projeto.

Comemoração efusiva
O grupo do ex-prefeito Juarez Leitão (PT) não escondeu de ninguém em Feijó a satisfação pela vitória de Dindim (PSDB) para prefeito.

O mundo caiu
Quando opinei que Wagner Sales ganharia a eleição para prefeito de Cruzeiro do Sul lideranças do PT acharam que estava errado. Eu estava certo. Anotem, agora: o senador Tião Viana (PT) tem que fazer de Cruzeiro uma prioridade na campanha.

Não é boa
Se algum puxa-saco chegar com o senador Tião Viana (PT) e disser que está tudo às mil maravilhas com o PT no Juruá, ele bote para correr que está mentindo para ser agradável.

Não é o nome
A questão não é o nome do senador Tião Viana, entre os petistas o mais assimilável no Juruá, mas a antipatia, a rejeição que a sigla PT sofre entre os moradores da região.  

Exemplo democrático
O deputado Moisés Diniz (PCdoB) deu ontem em sua fala na Aleac um belo exemplo de democracia ao reconhecer a vitória justa do Dindim (PSDB) em Feijó e defender que o governo mantenha relações institucionais com o novo prefeito.

Cortando na carne
Moisés confirmou o que a coluna publicou: dois vereadores do PT trabalharam para o candidato Dindim (PSDB), assim como a principal figura do PCdoB em Feijó, o polêmico Dr. Baba, e de quebra o PSB, todos da FPA.

Equívoco grande
Moisés Diniz fez um alerta com certo sentido, considerando um equívoco a oposição achar que a eleição isolada de Feijó, com suas nuances regionais, possa servir de parâmetro para a oposição dizer que foi um passo decisivo para ganhar o governo.

Outro contexto
O parlamentar comunista fez uma análise pertinente, porque os candidatos são outros, o universo de votos é bem mais amplo, e o PT tem um candidato muito forte, com penetração em todos os municípios, o senador Tião Viana (PT).

 Frase e resposta
“Vão passar 100 anos e não vai aparecer um partido que trabalhe mais que o PT no Acre”, deputado Thaumaturgo Lima (PT).
“O deputado Thaumaturgo pirou de vez”, resposta do deputado Donald Fernandes (PSDB).

Outra frase
Ao saber que setores da FPA alardeavam que o Dindim (PSDB) comprou os votos que garantiram a sua eleição, o deputado Luiz Calixto (PSL) foi irônico: “como é que um liso vai comprar votos?”.

Não entendi
Não consegui entender a frase do deputado Chagas Romão (PMDB), por mais que me esforçasse, dita ontem em seu pronunciamento na Aleac: “político não pode ser água morna, tem que ser água fria ou quente”.

Fica com uma vaga
Pelo trabalho diário que o deputado Walter Prado (PDT) vem fazendo, não é demais se dizer que vai se reeleger.

Motel popular
A deputada Dinha Carvalho (PR) denunciou ontem na Aleac que a fábrica de ração de peixes de Senador Guiomard, que nunca funcionou, virou um motel popular.

Esqueceu de dizer
É válido que peça ajuda do governo para o empreendimento público ser colocado para fun-cionar. Esqueceu de dizer que quem deixou a fábrica sucateada, quando prefeito, foi o seu marido Maresia, fato que foi manchete de jornais.

Clone do Petecada
Este instituto que deu a vitória do PT em Feijó lembra o “Petecada”, instituto criado pelo deputado federal Sérgio Petecão (PMN), quando foi vice do José Bestene para prefeito, que só dava resultado favorável à chapa.

Realidade das urnas
Quando as urnas foram abertas, a chapa Bestene-Petecão, que aparecia liderando a preferência popular, ficou em último lugar.

Sempre na cola
Em qualquer foto clicada ou entrevista para a televisão que o Dindim (PSDB) ia dar, o ex-prefeito de Acrelândia, Tião Bocalom (PSDB), se postava atrás. Fotógrafos e cinegrafistas tiveram que fazer malabarismo para tirá-lo de foco.

Uma observação
No julgamento do recurso do ex-prefeito Nílson Areal (PR) no TSE não será analisado mais se teve compra de votos, as súmulas 07 do STJ e 270 do STF proíbem, mas, apenas se o TRE deixou de cumprir formalidades técnicas ou se houve cerceamento da defesa.

Esclarecimento jurídico
O esclarecimento foi feito ontem à coluna por um desembargador aposentado quando consultado sobre o assunto.

Uma coisa e outra coisa

 Uma coisa é a oposição se unir em Feijó. Outra é saber se vai ter o mesmo sentimento quando estiverem em discussão as candidaturas únicas ao Governo e ao Senado, que são situações mais complexas e distintas. Com quatro candidaturas postas para o Senado, com egos inflamados, é neste contexto que vai realmente ver se a oposição mudou ou continua a mesma. Feijó não é parâmetro para se afirmar que a oposição, enfim, conseguiu sua unidade. O buraco da união é bem mais embaixo.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation