Deputado acreano não quer visita do presidente do Irã ao Brasil

Foi surpreendente na sessão de ontem da Aleac quando o deputado Chagas Romão (PMDB) subiu à tribuna para criticar a visita do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, ao país. Apesar da Assembléia do Acre não ser propriamente o fórum adequado para o protesto, Chagas Romão, fez um discurso agressivo chamando Ahmadinejad de senhor da guerra e o acusando de um genocídio de seis milhões de pessoas. “Nós somos um país pacífico e não queremos esse tipo de pessoa por aqui”, argumentou Chagas.

O parlamentar peemedebista discursava enquanto pes-soas mostravam cartazes de protestos contra a visita de Ahmadinejad da galeria. Romão explicou o que motivou o seu protesto. “É um requerimento que apresentei na Aleac contra a vinda do presidente do Irã porque que ele não tem pregado a paz. O presidente Lula (PT) é chefe de um país democrático e não deveria tê-lo convidado. Além de desnecessário isso pode causar constrangimento para outros países democráticos que tem relação diplomática com o Brasil”, disse Chagas.

O deputado acredita que Ahmadinejad seja o responsável pela morte de seis milhões de pessoas no seu país. “A posição dele é a favor da fabricação de bomba atômica que pode ameaçar outros países”, protestou. Indagado sobre qual o significado para o Acre dessa visita, Chagas Romão, respondeu:  “Não afeta o Acre em nada, mas é uma manifestação da gente. É um pensamento meu, então, quis expor essa minha posição. Nós pregamos a paz no mundo e nós já temos tantas coisas que desfavorecem a nossa população. Fortalecer esse tipo de pensamento de quem prega a guerra é desfavorável ao nosso país”, finalizou.   

Assuntos desta notícia


Join the Conversation