Nunca antes no Acre

O povo do Acre está de parabéns. Nunca antes na história recente desse Estado uma movimentação popular ganhou tanta força a ponto de conseguir um benefício para todos. Pobres e ricos, remediados e assalariados, indistintamente, serão respeitados. Não foi uma luta de classe. Foi uma batalha por todos, encampada por uma emissora de rádio.
Muitos podem não ter participado. Mas, quem participou, trazendo para a Gazeta FM 93,3 ou levando, pessoalmente, suas contas de luz para serem analisadas pela Aneel, na audiência pública realizada em Rio Branco, em setembro deste ano, para debater os problemas de energia e indicar soluções, conseguiu o que muitas pessoas não acreditavam.

Chegaram a me chamar de louca. Outros achavam que eu queria ser candidata a algum cargo eletivo levantando a bandeira de todos os descontentes com a Eletroacre.
A diretora Joísa Campanher, da Aneel, classificou a audiência acreana como uma das mais proveitosas realizadas em todo o país, na qual as reivindicações e reclamações contra a Eletroacre foram ouvidas e consideradas. Foi uma reunião de enorme  participação onde a população foi a grande vitoriosa.

A tarifa de energia elétrica no Acre será reduzida em 5,74% a partir de 30 de novembro, próxima segunda-feira. Isso já está oficializado.

A redução é também resultado dos esforços  realizados pela CPI da Energia Elétrica da Câmara dos Deputados, que tem como membros titulares dois parlamentares acreanos, o Petecão e o Gladson Cameli, que pararam para nos ouvir e recolheram as contas de energia do povo acreano.

Para quem torcia por um aumento de 12% nas contas de luz, acredito ter sido uma prova de que os acreanos estão acordando para garantirem seus direitos e estão tomando consciência do seu poder enquanto povo que reage e não simplesmente aceita o que os tubarões determinam.

Muita gente vai querer pegar carona nessa movimentação. Não tem problema. Peguem. E peguem também outros temas de relevância para todos. Abracem causas como quem abraça um filho. Defendam a revisão do cálculo de nossa energia. Não podemos compactuar com o ICMS sendo cobrado em cima do PIS e da Cofins.

Em Rondônia a redução chegou a quase 20% e lá não se calcula ICMS como se calcula no Acre. Taí outra causa que precisa ser abraçada, com unhas e dentes, por quem se diz defensor do povo.

No meu entendimento, jornalistas do século XXI não existem apenas para informar. Nossa função vai além do mero relato dos fatos. Nossa missão é informar, orientar e mobilizar para o exercício da cidadania. Nosso movimento já está sendo repercutido até na Rádio Nacional da Amazônia e vai fazer escola.

Como já disse várias vezes O filho do Brasil: O povo unido jamais será vencido.

Eliane Sinhasique é jornalista, radia-lista e publicitária
[email protected]

Assuntos desta notícia


Join the Conversation