Feliz Natal !!!

O Dia de Natal é festejado anualmente em 25 de dezembro, que comemora o nascimento de Jesus de Nazaré. Embora tradicionalmente seja um feriado cristão, o Natal é amplamente comemorado por muitos não-cristãos, sendo que alguns de seus costumes populares e temas comemorativos têm origens pré-cristãs ou seculares.
Na atualidade os preparativos para a festa do Natal começam no final de novembro. O clima festivo se estende até o dia 6 de janeiro, quando se comemora o Dia de Reis e que de acordo com a tradição as árvores de Natal são desmontadas.

Costumes populares modernos típicos do feriado incluem a troca de presentes e cartões, músicas natalinas, festas de igreja, uma refeição especial e a exibição de decorações diferentes; incluindo as árvores de Natal, pisca-piscas e presépio.

Em quase todos os países do mundo, as pessoas montam árvores de Natal para decorar casas e outros ambientes. Em conjunto com as decorações natalinas, as árvores proporcionam um clima especial neste período.

A ÁRVORE DE NATAL
Em todo o mundo, milhões de famílias celebram o Natal ao redor de uma árvore. A árvore, símbolo da vida, é uma tradição mais antiga do que o próprio Cristianismo, e não é exclusiva de uma só religião.

Muito antes de existir o Natal, os egípcios traziam galhos verdes de palmeiras para dentro de suas casas no dia mais curto do ano em dezembro como um símbolo de triunfo da vida sobre a morte.
Acredita-se que esta tradição começou em 1530, na Alemanha, com Martinho Lutero e trazida para o continente americano por alguns alemães, que vieram morar na América durante o período colonial.

No Brasil, país de maioria cristã, as árvores de Natal estão presentes em diversos lugares, pois, além de decorar, simbolizam alegria, paz e esperança.

O PRESÉPIO
A tradição católica diz que o presépio (do lat. praesepio) surgiu em 1223, quando São Francisco de Assis quis celebrar o Natal de um modo o mais realista possível e, com a permissão do Papa, montou um presépio de palha, com uma imagem do Menino Jesus, da Virgem Maria e de José, juntamente com um boi e um jumento vivos e vários outros animais. Nesse cenário, foi celebrada a Missa de Natal.

O presépio também representa uma importante decoração natalina. Ele mostra o cenário do nascimento de Jesus, ou seja, uma manjedoura, os animais, os reis Magos e os pais do menino. Esta tradição de montar presépios teve início com São Francisco de Assis, no século XIII.

AS MÚSICAS DE NATAL
As músicas de Natal também fazem parte desta linda festa. As músicas de Natal são uma tradição antiga e bastante difundida entre os países cristãos tanto católicos quanto protestantes. Elas são ensinadas às crianças e cantadas em coros, igrejas e residências na época do Natal para comemorar o nascimento de Cristo e reforçar os valores cristãos.
As principais músicas de Natal são: Noite Feliz (traduzido do alemão), música de Franz Gruber; Boas Festas – música de Assis Valente; Noite Azul – música de Orestes Barbosa; Sapatinho de Natal (Bom Velhinho) – Octávio Filho; e Bate o sino – (traduzido do inglês Jingle Bells).

O PAPAI NOEL
Ele foi inspirado no bispo Nicolau, que viveu e pontificou na cidade de Myra, Turquia, no século IV. Conta-se que seus pais tiveram dificuldades para ter filhos, até que nasceu Nicolau. Dando graças pelo fato, eles passaram a distribuir alimentos, roupa e dinheiro aos pobres até que vieram a falecer devido a uma epidemia.

Com a herança que recebeu dos pais, Nicolau continuou a tarefa e ajudava, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras, colocando o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas.

Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo. Nos Estados Unidos, a tradição do velhinho de barba comprida e roupas vermelhas que anda num trenó puxado por renas ganhou força.

Papai Noel é amado pelas crianças e respeitado pelos adultos. Não é branco, negro ou oriental. É um ser capaz de unir à humanidade em torno de coisas boas: amor, ternura, paz, sentimentos, carinho e gestos.

O CARTÃO DE NATAL
A prática de enviar cartões de Natal surgiu na Inglaterra no ano de 1843, criados por John C. Horsley que o deu a Henry Cole, amigo que sugeriu fazer cartas rápidas para felicitar conjuntamente os familiares. Em 1849 os primeiros cartões populares de Natal começaram a ser vendidos por um artista inglês chamado William Egly.

OS PRESENTES
Existem muitas origens para este símbolo. Uma delas conta que São Nicolau, um anônimo benfeitor, presenteava as pessoas no período natalino. Outra tradição mais antiga lembra os três reis magos que presentearam Jesus. Mas, o dia e o motivo de dar e receber presentes varia de país para país.

A COMIDA
O simbolismo que o alimento tem na mesa no dia de Natal vem das sociedades antigas que passavam muita fome e quando encontravam algum tipo de carne, queriam referenciar e agradecer a Deus e a Jesus (ligada às palavras de Jesus: “Este é meu corpo”). Então era servido porco e ganso. Posteriormente, estes foram substituídos por peru e peixe. Além disso, uma série de bolos e massas era preparada somente para o Natal, sendo hoje conhecidos por todo mundo. Outros alimentos tradicionais do Natal são as frutas secas, as nozes, as castanhas e os panetones.
CONCLUINDO…
Desejamos a você leitor um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações,  que Deus proporcione muito amor, saúde, paz e felicidades para você e sua família.  Estes são os nossos mais sinceros votos!

* Terezinha de Freitas Ferreira é doutora em Enfermagem pela Universidade de São Paulo – USP. Professora do Centro de Ciências da Saúde e do Desporto da Universidade Federal do Acre – Ufac.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation