Produção de seriados agora é prioridade na Globo

Com a chegada de Manoel Martins, no comando do Entretenimento da Globo, a produção de seriados ganhou uma grande importância. E passou a ser vista como prioridade.

O executivo implantou o conceito de temporada e, desde então, o gênero deslanchou, com produções exibidas nos dois semestres. Durante todo o ano que vem, não será diferente. Já foram solicitados projetos ou ideias para 9 entre 10 autores da casa. A lista inclui Miguel Falabella, que se despediu recentemente do “Toma lá Dá cá”. 

É um outro tempo na Globo.

Antes, os seriados ou qualquer outro trabalho de curta duração na teledramaturgia só eram autorizados em casos excepcionais. A relação custo/benefício sempre foi utilizada como argumento para que os trabalhos não observassem a tão alta escala de agora. Questão de ponto de vista.

Entendia-se que não valia a pena investir num autor, atores, cenários e toda produção num trabalho que ficasse no ar uma semana, ou um pouco mais ou pouco menos que isso.

Uma maneira diferente de enxergar as coisas. A direção atual, seguindo inclusive uma tendência da televisão em todo mundo, acha que a produção de minisséries, seriados ou comédias de situação deve ser sempre e cada vez mais incentivada.
É o que a Globo vem fazendo. E, ao que parece, cada vez mais.

No silêncio
 No outro sábado, ainda sem nenhuma divulgação em torno, a Bandeirantes vai gravar o primeiro piloto do “É Tudo Improviso”, que será exibido durante os meses de janeiro e fevereiro, no lugar do “CQC”.
Já está decidido que haverá sempre um convidado diferente por programa.
A direção é do Tadeu Jungle.
 
Tudo como está
 Ainda sobre a Band, não existe nenhuma alteração prevista sobre o trabalho da Adriane Galisteu na emissora. O certo é que ela vai continuar normalmente com o “Toda Sexta” e nada mais que ele.
Não existe, e nunca foi cogitada, a possibilidade de um segundo programa.

Utilidade pública
 Os funcionários do SBT quando deixam a emissora são obrigados a enfrentar um enorme congestionamento que se forma no km 18 da Anhanguera. Não tem dia, nem hora.
É coisa de enlouquecer qualquer um. E antiga. Ao que parece, não existe por parte das autoridades a menor disposição de resolver o problema.
Uma dica ao Paulo Nicolau, diretor de jornalismo: bota uma câmera lá e vamos aguardar os acontecimentos. Lamentavelmente, sabemos, tem certas coisas que só funcionam desse jeito.
 
Barril de pólvora
 O bate boca na Bandeirantes, no ar, José Luiz Datena versus pessoal do esporte, quarta-feira passada, estava no script. Todo mundo sabia que um dia ia acontecer. E aconteceu. Esta santa coluna, por sinal, já tinha se referido a isso e não faz tanto tempo.
E, se nenhuma providência for tomada, corre o risco de, um dia, acontecer coisa pior.
 
Olha só
 A média do “Melhor do Brasil”, fim de tarde e começo da noite nos sábados, sempre gira em torno de 7 a 9 pontos. Coisa de muito tempo.
A exceção aconteceu há poucas semanas. O programa deu inesperados e surpreendentes 12 de média. Mas, assim, do nada.
Curioso é que não vi, e nem ouvi, ninguém reclamando. Até por uma questão de coerência, alguém da Record deveria ter protestado junto ao Ibope. 

Assunto da hora
 É só uma sugestão.  Que ninguém da Band interprete mal. Amanhã, domingão, é dia do “Canal Livre”. Que tal colocar a reprise do recente programa apresentado com José Roberto Arruda, governador do Distrito Federal?
Não tem nada mais comentado no momento. Mas tem que ser na íntegra. Sem edição ou cortes.

Leticia_
Em “A História de Ester”, minissérie da Record que estréia dia 11 de janeiro, Letícia Colin interpreta Ana, amiga de Ester (Gabriela Durlo), a protagonista. Gravando.

 Está liberado
 Agora – acho que – pode. Na quinta-feira, pouca coisa mais de 4 da tarde, a Record botou no ar, dentro do programa “Geraldo Brasil”, trechos da “Fazenda”.
Propositadamente, não foi feita nenhuma identificação se estava ao vivo ou não. Mas pouco importa. Em cena, quadro fechado, Adriana Bombom e Sheila Mello, de tanguinha, tomando banho. E cai sabonete, e pega sabonete, e a câmera ali.

Tempo integral
 Grazi Massafera foi obrigada a botar o pé no freio e diminuir os seus vários compromissos comerciais. A novela “Tempos Modernos”, próxima da Globo no horário das 7, agora tem a sua prioridade.
Nessas primeiras gravações ela é uma das mais exigidas.

Primeiro lugar
O “Fantástico”, da Globo, grava hoje entrevista com Zezé di Camargo e Luciano para exibição amanhã. Trechos de shows também serão exibidos no programa.
Em tempo: de acordo com a ABPD (Associação Brasileira de Produtores de Discos), os sertanejos lideram a venda de CDs no país.     

Separadas                                                                                                                                 
 Carla Cecato estará em Minas Gerais, dia 15, para apresentar direto dos novos estúdios da emissora, parte do informativo “Fala Brasil”. Roberta Piza entrará dos estúdios de São Paulo. 
 
Mesa de comando
Circularam informações de que Valdir Zwetsh, que saiu do “Jornal da Record”, poderia ser o novo editor-chefe do “Jornal da Band”, em substituição a Fernando Mattar, que estaria interinamente no cargo.
Fernando Mitre, através da assessoria do canal, não confirmou.
Em tempo: Roberto Munhoz era o editor-chefe do telejornal, mas foi para o SBT trabalhar com Roberto Cabrini. Desde então a emissora do Morumbi estaria procurando um substituto.            

BATE-REBATE
* A Globo tem um esquema especial armado, para transmitir o futebol deste domingo.
* As quatro equipes com possibilidades de chegar ao título terão as suas partidas exibidas.
* Evidentemente que, porque 4 têm essa chance, disputando jogos em campos diferentes, não haverá entrega do troféu.
* Dizem que Silvio Santos pode iniciar as suas férias na semana que vem.
* O apresentador estaria com viagem marcada para os Estados Unidos na quarta-feira.
* Como se sabe, SS pretende ficar 3 meses afastado do Brasil.
* A Bandeirantes movimenta na cobertura do Carnaval de Salvador, Recife e Olinda  aproximadamente 300 profissionais.
* Esse número, segundo a emissora, poderá ser superado durante a transmissão da Fórmula Indy, marcada para março, em São Paulo.

C´est fini

“Viver a Vida” pode ter os seus problemas. A história ainda caminha inexplicavelmente em passos bem lentos, mas entre as suas virtudes é importante destacar o trabalho do seu elenco. Todos muito bem. Percebe-se que houve um trabalho de preparação importante antes de se iniciarem as gravações.
 Até tentei contar quantas vezes o Comandante Hamilton fala o nome do Datena durante as suas intervenções no “Brasil Urgente”. Desisti depois de 3 ou 4 minutos. 
Então é isso. Amanhã em mais. Tchau!

Assuntos desta notícia

Join the Conversation