Política local 11/12/2009

“O brasileiro só tem três problemas: café, almoço e jantar”.

Chico Anísio – humorista.

Postura parlamentar
A base da PMRB na Câmara Municipal está dando uma aula de independência à base do Governo na Aleac, ao não aceitar sem discussão, sem explicações convincentes, aprovar matérias graciosas, como o “projeto quibe cru” do secretário de Saúde Pascal Khalil, que cria (números dos vereadores) vinte e um cargos de confiança na sua pasta.

 Barrado no baile
O presidente da CCJ, ve-reador Raimundo Vaz (PRP), comunicou ontem à PMRB, que não dá parecer no “quibe cru da alegria” sem ampla discussão e as explicações.

Pontos principais
Antes de mandar o “quibe cru do Pascal” para a mesa, quer definir o reajuste dos servidores municipais e a questão da convocação dos concursados.

Como justificar
O vereador Alysson Bestene (PP) sustentava ontem que não há como justificar a aprovação do “quibe da alegria”, com os concursados da Saúde sem serem chamados.

Salário achatado
Alysson citou o salário dos dentistas da PMRB, achatados, que durante essa gestão recebeu apenas parte de uma reposição salarial e nenhum reajuste.

Para que serve?
Outra contestação é a criação de um cargo para contratar um advogado na Semeia. Para que serve a Procuradoria Jurídica da PMRB? indagava o vereador Raimundo Vaz.

Não é rebeldia
A posição da base do prefeito na Câmara Municipal não deve ser vista como rebeldia, mas como uma ação política de independência e coerência.

Conversa aberta
O prefeito Angelim, que faz uma bela administração (uma das melhores dos últimos tempos), deveria convocar sua base política para as explicações necessárias.

Pergunta a ambos
Não aumentaram as atribuições da Saúde, por que esses vinte e um novos cargos de confiança? É uma indagação que ele deveria fazer ao secretário Pascal Khalil.

Nem um telefonema
Uma das principais reclamações dos vereadores da base do prefeito Angelim é que nem o secretário Pascal nem Artur desceram do pedestal para dialogar.

Nada explicam
As queixas sobraram também para o líder do prefeito, vereador Astério Moreira (PRP) e para o secretário político Márcio Batista, que nada explicam aos vereadores.

Medida justa
O prefeito Angelim age de forma justa ao acatar indicação do vereador Astério Moreira  (PRP) para adequar a legislação de concessão de boxs nos mercados da Capital.

Modelo do Ceasa
O modelo será o mesmo do Ceasa, que permite aos permissionários passar a concessão em frente e ter direito a se ressarcir dos investimentos.

Briga socialista
O vereador Zenil Chaves (PPS-Sena Madureira), vice-presidente do PPS, está disparando duro nos sites contra o deputado federal Ilderley Cordeiro (PPS).

Jogo da FPA
Zenil acusa Ilderley de fazer o jogo da FPA ao ser contra a candidatura de Márcio Bittar (PSDB) ao Senado.

Outro ataque
Também ataca o deputado N.Lima (DEM), a quem acusa de ser oposição ao governo na Capital, mas deixa seu partido se aliar com o PT em Sena Madureira.

Isso é que é unidade!
É briga no PSDB no balde, é briga pipocando no PPS, e assim caminha a oposição, no Acre. E ainda falam em discutir em 2010 uma unidade para o governo e Senado!

Imaginem se estivessem!
Brigam estando na oposição, sem um pastel para dividir, imaginem se estivessem no poder!

Saldo positivo
O deputado federal Gladson Cameli (PP), ao trazer a empresa TRIP para fazer vôos diá-rios entre Rio Branco-Cruzeiro do Sul, vai fechando o ano com saldo positivo.

Bom mandato
Gladson começou titubeante, se firmou, e hoje cumpre um bom primeiro mandato.

Não menosprezar
José Bestene e Elson San-tiago são dois candidatos fortes a deputado estadual no PP. Mas, é bom não menosprezar a candidatura do Deda (PP), que é fera numa campanha.

Seria zebra
O PP tende eleger dois deputados estaduais, e seria zebra não sair deste trio.

Pipocar de brigas
A oposição vai entrar 2010 com brigas internas pipocando e longe de uma unidade.

Uma do Borborema

O saudoso João Borborema, fundador do velho MDB,  tinha a língua ferina como poucos. Certa feita encontra o saudoso deputado federal Ruy Lino (MDB), que dispara: “salve meu grande soldado do MDB!”. Borborema respondeu na bucha: “eu não passo de soldado, mas seus afilhados são todos coronéis”. Ruy pigarreou e seguiu em frente.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation