Política local 30/12/2009

“Cada segundo é tempo para mudar tudo para sempre”.

Charles Chaplin, o gênio do cinema mudo.

Nem gregos nem troianos
Por ser um dos raríssimos jornalistas a contestar as posições do
 governador Binho e as ações de seu governo fui acusado por
 setores da FPA de “fazer o jogo” da oposição. Por chamar a oposição de desatinada, sem rumo, nem lenço e nem documento, fui taxado pelos seus cardeais de “beneficiar o PT”. Isso só me mostrou uma coisa: atingi o ápice do bom jornalismo.

Mesma linha
Em 2010 vou continuar na mesma linha política: o que é notícia vai ser notícia. Posso, por exemplo, dizer, sem faltar com a verdade, que o Tião Bocalom é forte candidato ao governo?

Outro exemplo
Posso dizer que a oposição está unida, deixou de lado os interesses pessoais dos dirigentes, que fará os dois senadores e o governador, como querem, sem mentir, descaradamente?

 Situação idêntica
Posso dizer que não existe disputa dentro da FPA pela segunda vaga do Senado entre os deputados Edvaldo Magalhães (PCdoB) e Fernando Melo (PT), sem mentir?

Posso fazer isso?
Posso também dizer que o PT é amplo favorito a vencer a eleição no Juruá em 2010, sem praticar uma mentira deslavada?

É mentira?
É mentira que o senador Tião Viana (PT) entra como franco favorito na disputa do governo em 2010, ajudado por uma oposição destrambelhada, e que o Jorge Viana é favorito ao Senado?

Posições jornalísticas
Dei apenas os exemplos acima de notícias que abordei ao longo de 2009. Se teve prefeito, deputado, governador, dirigente de partido, que não gostou, para mim pouco importa.

Número imenso
Eu quero agradecer aos leitores do interior que diariamente mandam e-mails, telefonam, com notícias de Thaumaturgo a Assis Brasil, porque sem isso, a coluna não seria tão informativa.

Não desmentiu nada
A coluna colocou que Flaviano Melo disse que admitia “conversar com o PT”. Que o PSDB “emperra” uma coligação com o PMDB. Não deu uma linha que ele tinha conversado com o PT.

Tudo confirmado
Na entrevista do deputado federal Flaviano Melo (PMDB) na GAZETA, domingo, ele confirma tudo o que a coluna publicou como declaração sua, ponto por ponto.

Desmentir, o que?
Como a coluna nunca deu uma linha que ele “conversou com o PT”, não se sentiu atingida quando o Flaviano falou nunca ter dito que tinha conversado com os petistas.

Sem dúvidas
Até porque no jornalismo não podem pairar dúvidas acerca de uma notícia.

Orgasmos em ecologistas
Fui assistir ao filme AVATAR. Retrata uma guerra piegas entre defensores da natureza e o capital avassalador, vencida pelos primeiros:  o enredo é de causar orgasmos em ecologistas.

A vaga é minha
Quem leu a última postagem do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) no seu blog, pode traduzir o texto da seguinte maneira: “ninguém tasca, a segunda vaga do Senado é minha”.

Vantagem na briga
Até agora, Magalhães vem levando vantagem sobre o deputado federal Fernando Melo (PT), outro postulante à vaga, na manifestação dos caciques do PT a favor do seu nome.

Apoio claro
Já defenderam a indicação do comunista o governador Binho, o assessor político Nepomuceno Carioca, e o suplente a senador, Aníbal Diniz.

Bola para frente
Mas, como Fernando diz que, quem decide são as bases via pesquisa, bola para frente.

Candidato único
Tião Bocalom (PSDB) deve andar lendo a posição do PMDB de trás para frente: os peemedebistas defendem candidatura única ao governo e não duas candidaturas.

É o pedido
Assessor próximo do deputado federal Henrique Afonso (PV) me disse ontem estar praticamente encaminhada no PV sua candidatura ao Senado.

Sem Plano B
Adiantou à coluna que Henrique Afonso não trabalha com um Plano B.

Mais longe
Fica a cada dia mais longe Márcio Bittar (PSDB) vir ser candidato ao Senado com apoio da direção regional. Bocalom, que fritou Normando Sales, agora é Sérgio Barros desde menino.

Novo componente
Ao propor uma pesquisa para acabar o impasse sobre o candidato ao Senado da oposição, o deputado federal Sérgio Petecão (PMN) coloca seu nome no jogo.

Por que não?
Acredita que pode sair como primeiro da pesquisa e com isso retomar seu velho sonho de disputar o Senado com a oposição unida no seu nome. 

Na dianteira

Qualquer pessoa que tenha no mínimo um neurônio, ao analisar o quadro político, chega à seguinte conclusão sobre a disputa do governo: o senador Tião Viana (PT), com a FPA unida, entra em 2010 como o favorito. Sua situação é tão confortável que a oposição entrará no ano eleitoral ainda discutindo se sairá com um ou dois candidatos ao governo. Este é o panorama.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation